Japão prometia transmitir Copa do Mundo por holografia em 2022

Na briga para ser escolhido o país sede da Copa do Mundo, o Japão havia criado um conceito tecnológico para 2022, afim de quebrar barreiras étnicas

Atualizada em 02 de dezembro de 2010, às 14h15

Apesar de ter perdido a disputa com o Qatar para sediar a Copa do Mundo de 2022. O Japão criou uma campanha onde eram feitas promessas extremamente fora do comum. Acontece que, enquanto pensamos em assistir a Copa do Mundo de 2014 em televisões 3D, o Japão oferecia holografia como elemento primordial durante o evento. As transmissões seriam em estádios de verdade, substituindo as atuais Fan Fests, que reúnem pessoas em torno de telões.

A holografia é uma forma de quebrar barreiras étnicas, causadas por diferentes idiomas e culturas. Com a tecnologia apresentada no vídeo abaixo, é possível realizar traduções automáticas, reconhecimento de etnia e, inclusive, ver a Copa do Mundo de outro lugar do mundo, como se estivessemos num estádio japonês.

O realismo é o ponto forte apresentado no conceito do vídeo, a imagem será gerada por duzentas câmeras de alta definição que captam a partida em 360 graus, enquanto o realismo sonoro é gerado por dispositivos de áudio de entrada espalhados estratégicamente pelos estádios japoneses, que levam o som para dispositivos de saída de áudio colocados em 400 estádios selecionados pelo mundo.  

O investimento a ser feito para a implantação de tal tecnologia, transmitida em tempo real para o mundo inteiro, tem o custo de 6 bilhões de dólares e é alvo de críticas pelo mundo, já que nem todos acreditam em tal capacidade tecnológica no Japão em 2022.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ