Moto Z chega ao Brasil em duas versões e com acessórios caros

Em evento realizado em São Paulo na manhã desta quarta-feira, 14, a Motorola revelou mais detalhes sobre o Moto Z, seu mais novo top de linha para o mercado brasileiro. O aparelho chega ao Brasil já nesta semana, junto com seus acessórios modulares e uma versão alternativa, o Moto Z Play.
 
A Motorola decidiu lançar o Moto Z em uma série de pacotes diferentes. A versão mais básica do aparelho vem em duas cores, preto grafite e branco com dourado, custando R$ 3.199. Além do dispositivo, vêm na caixa uma capinha personalizada e um Moto Snap de bateria que adiciona mais um dia de autonomia ao celular, segundo a empresa.
 
Já o Moto Z Play chega ao Brasil num kit mais básico, acompanhado apenas por uma capinha personalizada, custando R$ 2.199. Os outros pacotes incluem, além do smartphone principal, um acessório modular extra escolhido pelo consumidor no momento da compra. Não é possível comprar o Moto Z fora desses kits.
 
Assim como o iPhone 7, o Moto Z (em ambas as versões) vem sem entrada para fones de ouvido. Mas em vez de uma porta Lightning, o aparelho usa o padrão USB-C, que serve tanto para conectar o carregador quanto um fone do mesmo formato, que já vem na caixa. No pacote também vem um adaptador para cabos de fones de ouvido P2, o modelo mais tradicional.
 
Moto Z: especificações
 
Reprodução
 
O processador do Moto Z brasileiro, embora poderoso, é diferente do Moto Z norte-americano. Nos EUA, e apenas lá, o smartphone vem com um Snapdragon 820 com clock máximo de 2,2GHz, enquanto no Brasil e no resto do mundo, o mesmo chipset vem com clock máximo de 1,8GHz.
 
A Lenovo explicou que essa diferença se deve a um acordo fechado com a operadora norte-americana Verizon, que exigiu um processador mais rápido para apoiar a empresa na comercialização do Moto Z por lá. Além disso, a versão brasileira será a de 64GB de armazenamento interno, e não a de 32GB.
 
A tela AMOLED do Moto Z tem 5,5 polegadas e resolução Quad HD (2.560 x 1.440 pixels), 4GB de memória RAM e Android Marshmallow quase puro de fábrica. A câmera traseira é de 13MP, tem abertua de ƒ/1.8, foco a laser, estabilização óptica, HDR, flash dual-LED e grava vídeos em 4K. A frontal é de 5MP e tem abertura de ƒ/2.2.
 
Moto Snaps
 
 
Os acessórios modulares do Moto Z também serão vendidos no Brasil, incluindo os três primeiros já anunciados: o JBL SoundBoost, que funciona como um amplificador de áudio para o smartphone; o Insta-Share Projector, que funciona como um retroprojetor, transmitindo a tela do celular para qualquer superfície; e o OFF Grid Power Pack, uma bateria extra e recarregador portátil.
 
Cada Snap pode ser comprado separadamente, fora do pacote inicial. O JBL SoundBoost custa R$ 699; o Insta-Share Projector custa R$ 1.499; enquanto o OFF Grid Power Pack sai por R$ 399. Todos esses acessórios podem ser facilmente acoplados à traseira do Moto Z magneticamente, com ímãs.
 
Além deles, as Style Shells - capas de diferentes cores e materiais personalizados que não acrescentam funções técnicas, mas apenas dão um visual diferente ao smartphone - também serão vendidas por aqui. Quem quiser comprar o pacote básico de cada smartphone junto com um dos Snaps, também pode.
 
O kit inicial do Moto Z, que inclui o smartphone, uma Style Shell e o acessório de bateria, pode ser adquirido também com um SoundBoost (por R$ 2.499) ou o projetor (por R$ 2.999), em ambas as cores, preto e branco. Já o kit do Moto Z Play, que inclui o celular e um Style Shell apenas, é possível comprar também com o Snap de bateria (por R$ 2.399), com o amplificador de som (por R$ 2.499) ou com o projetor (por R$ 2.999). Esta versão, porém, vem em apenas uma cor.
 
No evento desta quarta, um quarto Moto Snap foi revelado: o Hasselblad True Zoom, um acessório que acrescenta à câmera do aparelho um sistema de zoom óptico de 10x, flash Xenon, controle de obturador e de outras configurações em botões físicos e também registra imagens em formato RAW, como câmeras profissionais DSLR fazem. O módulo chega ao mercado em outubro, custando R$ 1.499. Somado ao pacote básico do Moto Z, que inclui o Snap de bateria, o kit sai por R$ 3.999. Já no kit do Moto Z Play, o acessório sai custando R$ 2.999.
 
Moto Z Play: especificações
 
Reprodução
 
O aparelho é uma versão com hardware mais simples do Z e do Z Force, com menor desempenho, mas preço mais acessível e uma bateria muito superior (como era o seu antecessor, o Moto X Play).
 
O Z Play é mais grosso do que o Moto Z, justamente para abrigar a bateria maior, com 3.510 mAh. O fato de contar com o Snapdragon 625, que é um processador mais econômico, também faz com que sua bateria dure mais. A Motorola promete 45 horas de uso, a maior bateria que a empresa ja trouxe ao Brasil num celular.
 
Junto do Snapdragon 625, o Moto Z Play traz 3 GB de memória RAM. Sua tela tem 5,5 polegadas e resolução de 1080p, leitor de impressão digital frontal, com câmera frontal de 5MP e traseira de 16MP e uma entrada de fone de ouvido ausente nos seus irmãos mais caros.
 
A câmera é um pouco inferior também, já que o sensor f/2.0 não traz a estabilização óptica dos modelos mais rebuscados da empresa, mas ainda conta com foco automático e detecção de fases. Na parte de trás do dispositivo há o conector de 16 pinos magnéticos que permite que o Moto Z Play seja compatível com todos os Moto Snaps da empresa.
 
Nos EUA, a Lenovo (dona da Motorola) vende também o Moto Z Force, uma edição com câmera de maior resolução e com a tecnologia Shattershield do Moto X Force, que torna o display à prova de riscos e quase indestrutível. Essa versão, por enquanto, não tem previsão para chegar ao Brasil.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ