Moto Z vs Moto Z Play: qual modelo vale mais a pena?

Recentemente, a Motorola trouxe ao Brasil duas versões de seu mais novo smartphone top de linha: o Moto Z e o Moto Z Play. Ambos possuem suporte aos mesmos Moto Snaps, acessórios modulares capazes de equipar o celular com recursos exclusivos.

As semelhanças, porém, param por aí, já que a maioria das especificações é diferente entre os dois modelos. O Moto Z Play é um pouco mais barato, mas não tão potente quanto seu "irmão" Moto Z. Qual dos dois compensa mais no quesito custo-benefício? É o que você vai descobrir no comparativo abaixo.

Design

Começando pelo aspecto mais óbvio: a aparência dos smartphones. O Moto Z se orgulha de ser o aparelho mais fino já lançado no Brasil, com apenas 5,19 milímetros de espessura. O Moto Z Play, por sua vez, é um pouco mais "gordo": tem 6,99 milímetros de espessura.

Em números absolutos parece pouco, mas a diferença é nítida quando se passa algum tempo com os dois modelos. Para muitos, um smartphone tão fino pode não ser tão interessante, mas a experiência cotidiana com um celular tão compacto, e consequentemente mais leve, faz, sim, muita diferença.

Como os dois smartphones são bem grandes (tela de 5,5 polegadas), ter um design mais fino ou leve também compensa por esse lado. Além disso, há uma série de detalhes no corpo do Moto Z que o tornam mais elegante do que o colega mais barato.

A traseira é o que mais se destaca nesse sentido. No Moto Z, a parte de trás é feita em uma espécie de alumínio, sem reflexos desnecessários e com pouco espaço para marcas de dedo visíveis. Já o Moto Z Play usa vidro, o que faz com que as digitais fiquem bem mais nítidas.

Já os defeitos aparecem nos dois modelos: aquela lombada na região da câmera que a maioria dos usuários criticou continua ali mesmo no Moto Z Play, apesar de ele ter um corpo mais "grosso" do que o Moto Z principal. O sensor de impressões digitais, como comentamos no review do aparelho, continua desagradável na versão Play, à frente do dispositivo e abaixo da tela.

Levando em conta tudo isso, é preciso reafirmar que, em ambos os modelos, a Motorola tomou decisões de design bem corajosas (para não dizer questionáveis). De qualque forma, por ter uma aparência um pouco mais elegante e premium do que o Play, o Moto Z é o vencedor nesta categoria.

Reprodução

Tela

Os dois smartphones usam painéis Super AMOLED na tela de 5,5 polegadas, mas a diferença fica por conta da resolução: o Moto Z tem um display Quad HD (2.560 x 1.440 pixels) com 535 pixels por polegada; enquanto o Moto Z Play tem uma tela HD (1.080 x 1.920 pixels) com 403 pixels por polegada.

Novamente, pode parecer um detalhe quase imperceptível, mas a diferença é nítida quando o usuário segurar os dois smartphones lado a lado. As cores na tela do Moto Z são mais vivas e intensas do que na tela do Moto Z Play, em que tudo parece um pouco mais frio.

Por isso, é fácil chegar à conclusão de que o Moto Z tem uma tela melhor do que o Moto Z Play.

Hardware e desempenho

Vamos, portanto, às especificações dos dois modelos. O Moto Z usa um processador Snapdragon 820 (quad-core, até 1.8 GHz) enquanto o Play vem com um chip Snapdragon 625 (octa-core, até 2 GHz). Não se engane pela quantidade de núcleos, porém: o modelo mais caro é mais potente.

A diferença é bem mais nítida na execução de jogos pesados como o "N.O.VA.", da Gameloft. A taxa de quadros sofre algumas leves interrupções no Moto Z Play, o que não acontece no Moto Z, no qual o jogo roda tranquilamente sem o menor engasgo.

Cálculos de apps de avaliação de desempenho confirmam essa suspeita. Enquanto o Moto Z faz 131.403 pontos no AnTuTu e 3.792 pontos em multi-core no Geekbench, o Moto Z Play faz 63.075 no primeiro e 2.344 no segundo. Ou seja, os números estão do lado do modelo mais caro.

Para o uso cotidiano, porém, a diferença é mínima. Os dois dispositivos rodam os principais aplicativos de mensagem, produtividade e redes sociais com tranquilidade, suportando tarefas simultâneas e sem grandes dores de cabeça.

Um outro detalhe importante diz respeito à memória: o Moto Z vem com 4GB de RAM, enquanto o Play vem com 3GB. De acordo com os mesmos AnTuTu e Geekbench, menos de 1GB é ocupado pela execução do sistema operacional, o que deixa bastante espaço livre para outras aplicações.

Resumidamente, os dois smartphones apresentam um ótimo desempenho, mas o Moto Z "normal" ainda é um pouco melhor do que o Moto Z Play.

Câmera

Um smartphone top de linha só pode ser considerado um bom concorrente nesta categoria se tiver uma boa câmera para bater de frente com nomes como Galaxy S7 e iPhone 7. Embora não tenha uma tão impressionante quanto à dos rivais, essas duas versões do Moto Z têm, sem dúvida, as melhores câmeras que a Motorola já desenvolveu.

O Moto Z vem com um sensor de 13MP com abertura de f/1.8, estabilização óptica, autofoco a laser e flash com correção de cor. Já o Moto Z Play tem um sensor traseiro de 16MP, abertura de f/2.0, autofoco a laser e o mesmo flash. Esse modelo, porém, não tem estabilização óptica.

Há uma série de ajustes customizáveis no aplicativo da câmera do Moto Z (e também no Play) que permitem ao usuário configurar o foco manual, o balanço de branco, a velocidade do obturador, ISO e compensação de exposição. Nada muito complexo, mas já é suficiente para o usuário menos profissional.

No fim das contas, porém, a diferença na qualidade das fotos de um Moto Z e de um Moto Z Play é notável. O modelo mais caro tem problemas em ambientes pouco iluminados, exibindo certo ruído em algumas imagens, além de falhar na representação de cores mais quentes, mesmo tendo uma lente mais aberta.

O Moto Z Play, por sua vez, mesmo sendo mais barato, tira fotos muito mais detalhadas e especialmente mais bem definidas e com melhor contraste do que o irmão mais caro, principalmente porque conta com uma lente mais fechada e, por isso, captura menos luz. As cores nas fotos do Moto Z Play também são mais vivas e realistas.

Veja abaixo e compare nos detalhes. Primeiro, uma foto tirada com o Moto Z; em seguida, o mesmo local, visto pela câmera do Moto Z Play:

Reprodução

Reprodução

Se você quer muito um smartphone com uma excelente câmera, há opções melhores no mercado, como os já citados Galaxy e iPhone, além do Xperia X, da Sony, por exemplo. Mas entre as duas versões do smartphone da Motorola, o Moto Z Play certamente tem uma câmera superior.

Bateria

Chegamos a um ponto em que é preciso olhar com muita atenção. O Moto Z principal tem uma bateria de 2.600 mAh e o Play vem com uma de 3.510 mAh. Ambos usam um carregador TurboPower de 15 W capaz de reabastecer o smartphone rapidamente e são compatíveis com o Incipio OFF Grid PowerPack, um Snap capaz de recarregar a bateria do celular sem fios.

Ao contrário do processador, porém, neste caso os números brutos falam por si: a bateria do Moto Z Play dura muito mais do que a do Moto Z. Nos nossos testes, o aparelho mais barato sobreviveu a um dia inteiro de navegação por 4G, Wi-Fi, streaming de vídeos no YouTube e Netflix e até jogos pesados como Pokémon Go.

Com a bateria em 100% da carga às 8h, só tivemos que conectar o celular ao carregador cerca de 14 horas depois, quando a energia chegou a 15%. Em uso moderado, o Moto Z Play certamente pode durar quase um dia e uma noite inteira. O mesmo não se pode dizer sobre o Moto Z, porém.

Com um processador mais potente, uma tela de maior resolução e uma bateria menor, é natural que a carga do Moto Z dure menos que a do Moto Z Play. Nos nossos testes, o smartphone foi de 100% a 15% em cerca de 8 horas (com o mesmo uso intenso experimentado no Play), mas há um detalhe que é preciso levar em conta.

Mesmo mais caro, o modelo mais básico do Moto Z já vem com o Snap de bateria na caixa. Isso significa que, apesar de ter uma bateria menor, o smartphone pode durar mais do que o normal graças ao Power Pack, que embora não seja tão eficaz quanto outros vendidos no mercado, é capaz de dar uma boa sobrevida ao celular.

Sendo assim, qual dos dois tem a melhor bateria? Para o uso cotidiano regular, os dois são capazes de segurar as pontas por pelo menos um dia inteiro. Mas é inegável que o Moto Z Play dura mais tempo longe da tomada, com ou sem Snap de bateria. Neste quesito, a vitória é do Moto Z Play.

Conclusão

Antes de decidir qual dois vale mais a pena, é preciso comparar os preços e alguns outros detalhes. O Moto Z chegou ao Brasil em setembro custando R$ 3.199 no kit mais básico, mas já é possível encontrá-lo em lojas online com desconto por algo em torno de R$ 2.815.

Já o Moto Z Play, no kit mais básico (sem acessórios modulares), chegou custando R$ 2.199, mas algumas lojas já o oferecem a partir de R$ 1.979. De qualquer forma, portanto, a versão Play continua mais barata do que a versão principal. Mas será que o downgrade faz o preço valer a pena?

O que acontece é que o Moto Z Play ocupa uma faixa de preço muito mais concorrida do que o Moto Z. Por esse mesmo preço é possível adquirir um Zenfone 3, que tem especificações de nível semelhante e é ainda mais barato do que o dispositivo da Motorola, mesmo com mais RAM; ou um Galaxy A7.

O mesmo não pode ser dito a respeito do Moto Z, que não possui um competidor de mesmo nível e mais barato. O principal rival é o Galaxy S7, que, apesar de ter uma câmera melhor, não tem suporte aos Moto Snaps; ou o LG G5, que até tem acessórios modulares, mas não é tão potente quanto o celular da Motorola.

Por outro lado, o Zenfone 3, principal rival do Moto Z Play, tem uma câmera inferior. Além disso, se você quiser experimentar os acessórios modulares da Motorola, que além do Snap de bateria incluem um retroprojetor e uma caixa de som, entre outros, o celular da Asus, ou qualquer outro concorrente, não podem te atender.

Reprodução

Outra vantagem do Moto Z Play é a polêmica entrada para fones de ouvido. A porta P2 foi removida do Moto Z para deixá-lo mais fino, mas está presente no Z Play. Por outro lado, vem na caixa do Moto Z um adaptador para você ligar seu fone tradicional à porta USB-C do smartphone. Só não pode ouvir música e carregar o aparelho ao mesmo tempo, mas o uso do adaptador, por si só, não incomoda tanto.

Tudo depende, portanto, do que você procura em um smartphone, além, é claro, dos Moto Snaps. Se o que você quer é um top de linha para durar cerca de três anos, com performance de ponta e design refinado - e não se importa em pagar mais caro por isso -, o Moto Z é para você.

Mas se você quer uma bateria duradoura e uma câmera de ótima qualidade, não faz questão de ter a última palavra em performance e se importa, sim, com o preço a ser pago, então o Moto Z Play é para você. No fim das contas, por uma simples questão de custo-benefício - isto é, possuir mais atrativos custando um valor menor -, o vencedor acaba sendo mesmo o Moto Z Play.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ