Mozilla lança iniciativa para combater notícias falsas

A Mozilla, organização por trás do navegador Firefox, lançou nesta semana a Mozilla Information Trust Iniciative (MITI, ou iniciativa de confiança na informação da Mozilla). O objetivo do projeto é entender melhor o problema da disseminação de notícias falsas na internet e, com isso, tomar medidas mais eficientes para combatê-lo.

De maneira geral, a ideia é tornar a internet um espaço melhor. "Se nós não diminuirmos o desgaste mental que as pessoas sentem por se preocupar constantemente com a veracidade das informações, o valor da internet aberta para todos diminui, e isso gera uma série de problemas no longo prazo", comentou a diretora de inovação da Mozilla, Katharina Borchert.

Quatro frentes

Para combater o problema, a organização pretende atuar em quatro "frentes": produtos, educação, pesquisa e intervenções criativas. A parte de produtos se refere à melhoria dos softwares da Mozilla, como o Firefox, o Focus e o Pocket, para combater notícias falsas.

Educação, por sua vez, se refere a educar os usuários a identificar notícias falsas e a valorizar informações verídicas. Para isso, a organização pretende criar uma espécie de "cartilha de alfabetização" da internet, e continuar a investir em projetos já existentes nesse sentido, como o Mission: Information.

Com relação a pesquisa, a Mozilla pretende usar dados gerados pelos usuários nas eleições estadunidenses de 2016 para entender melhor como identificar notícias falsas e como essas notícias afetam a experiência dos internautas. Finalmente, as intervenções criativas poderão ser ferramentas de visualização de dados criadas por usuários, como uma experiência de realidade aumentada que ressalte as maneiras de identificar notícias falsas.

No entorno

Segundo o Business Insider, o programa também encoraja outras empresas a olhar para os dados de seus próprios usuários para entender melhor como o problema pode ser encarado. De fato, a Mozilla está em busca de parceiros para ajudar a entender melhor o problema. As parcerias ajudariam a organização, por exemplo, a determinar as perguntas e a metodologia que ela pode usar para estudar o problema.





RECOMENDADO PARA VOCÊ