Caixa de som bluetooth Beats Pill

Review da caixa de som Beats Pill+: cara, mas de alta qualidade

Rene Ribeiro 19/02/2019 14h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Depois que a Beats passou para as mãos da Apple, a marca se tornou sinônimo de Apple. A caixa de som Bluetooth Beats Pill+ (ou plus) está entre os primeiros produtos da Beats a estar sob o guarda-chuva da gigante de Cupertino.


A Apple se absteve de colocar seu logotipo na caixa de som, claro, para que o público não fique confuso, porém, é facilmente perceptível que a Beats mudou pelo conector de alimentação da Beats Pill+, que é do tipo lightning em vez do tradicional micro USB ou USB-C.

Isso é bom para quem tem iPhone ou iPad, que pode andar com apenas um cabo em vez de ter que levar outro junto com a caixa.

Caixa de som bluetooth Beats Pill+: design e acabamento

Bem de acordo com a linguagem de design da Apple, essa caixa tem aparência minimalista, sem qualquer parafuso a mostra. Ela é envolta em uma tira de resina plástica inteiriça, muito resistente, sem um único recorte no material, e os únicos encaixes vem das grades de metal que protegem os dois alto-falantes centrais e dois twitters (um em cada extremidade).

Ela é incrivelmente robusta e rígida. Mesmo as grades de metal são impossíveis de amassar com as mãos (sim, eu fiz esse teste). Eu só não derrubei no chão, mas provavelmente também não vai amassar, pois o material é bastante rígido mesmo. Talvez ganhe alguns arranhões ou perca alguma parte da tinta, mas vai ser difícil quebrar.

Reprodução

A Beats Pill+ foi marcada pela Apple: repare que ela usa conector lightning para carregar a bateria. Ao lado do cabo, o carregador

Ela é pesada também: são 745 gramas em pequenas dimensões: 21 centímetros de largura por 6,4 cm de profundidade e 6,4 cm de altura. Na parte de trás, estão uma porta USB (apenas para servir de carregador para o smartphone), uma entrada P2 para ligar um dispositivo via cabo em vez de bluetooth, e o conector lightning que, conforme descrevemos no início do tópico, serve para carregar a bateria.

Reprodução

Quando vi que esses conectores são protegidos por uma portinhola emborrachada e que fica hermeticamente fechada, achei que a caixa era a prova de água (para levar perto da piscina, por exemplo, sem medo de cair de água), mas não há nenhuma informação do fabricante e nem no site da Apple afirmando isso. Portanto, se decidir comprar, melhor não deixar cair na água. Melhor admitir que essa portinhola sirva para evitar acúmulo de poeira.

Reprodução

Na parte de cima, há quatro botões: dois para controlar o volume de som; um botão para parear o bluetooth (e atender chamadas telefônicas) e o botão para ligar e desligar a caixa. Há também 5 pequenos LEDs que indicam o nível de carga da bateria.

Reprodução

Caixa de som bluetooth Beats Pill+: qualidade de áudio

Pelas dimensões dessa caixa de som, o volume alcançado impressiona. Em 80% da potência total, já é possível animar um ambiente aberto, perto de 50 m². Porém, no volume máximo, o som distorce. O balanço de frequências médias é bastante nítido, tem um bom equilíbrio entre graves e agudos, mas não há nenhum destaque, como um boost para os graves, por exemplo.

Uma experiência que achei interessante foi parear a Beats Pill+ com a TV. Foi bem legal substituir os alto-falantes da TV, que, no meu caso, tem uma potência bem inferior a esta caixa de som. Ela serviu como uma mini soundbar e foi eficiente para destacar vozes, assim como efeitos especiais de áudio em filmes. Um detalhe: o fabricante não informa a potência dos alto-falantes e especificações dos twitters.

Caixa de som bluetooth Beats Pill+: duração de bateria

A bateria, a qual o fabricante não informa capacidade, tem duração teórica de 12 horas. Eu deixei ligada em volume baixo para médio durante 5 horas e restavam acesos três LEDs indicadores de nível de bateria.

Considerando que cada LED indica cerca de 20% de carga, então essas 5 horas devem ter consumido entre 40% e 50% carga máxima (não dá para ter precisão já que o sistema indicador são LEDs). Se for isso mesmo, a bateria deve atingir o valor próximo do prometido pelo fabricante. O processo de carga de 0 a 100% leva cerca de 3 horas, segundo o fabricante.

Caixa de som bluetooth Beats Pill+: aplicativo

Essa caixa de som pode ser controlada por aplicativo (para Android e iOS). Além disso, o app permite parear duas caixas de som Pill+ e configura-las de duas formas: a primeira serve para ampliar o som e o segundo modo permite configurar as caixas como canais esquerdo e direito, aumentando o efeito estéreo.

Reprodução

App Beats Pill+ permite configurar até duas caixas de som para modo estéreo e modo para amplificar o áudio

Caixa de som bluetooth Beats Pill+: conclusão

Essa caixa de som tem um acabamento muito resistente com design minimalista, e fica bem discreta em uma sala. Apesar de dimensões pequenas, ela é pesada (745 gramas), porém tem uma boa potência sonora. A qualidade do áudio é nítida, mas não há destaque para sons graves e agudos. Com o volume no máximo, o som distorce bastante. A bateria tem alta duração e a opção de poder carregar um celular, seja um Android ou um iPhone, é interessante para uma emergência.

O aplicativo permite parear uma segunda Beats Pill+, para amplifcar o som ou para configura-las como canal esquerdo e direito, criando uma imersão melhor em efeito estéreo. O principal problema dela é o preço: no sitre da Apple ela sai por R$ 1.299. Bem caro perante concorrentes que também tem muita competência em fabricar produtos de áudio de alta qualidade.


Apple review Beats caixa de som
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você