Peixe microscópico impresso em 3D pode transportar drogas no corpo humano

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, usaram a impressão 3D para produzir robôs microscópicos em forma de peixe capazes  de "nadar" no sangue, transportar drogas dentro do corpo e até detectar e eliminar toxinas.

Chamados de Microfishes, os peixes possuem a largura de um fio de cabelo humano e são magneticamente controlados. Os robôs são guiados por nanopartículas de óxido de ferro e platina que, quando colocadas em uma solução com peróxido de hidrogênio, reagem quimicamente e geram um movimento para a frente.

De acordo com um dos pesquisadores, o método desenvolvido apresenta diversas melhorias em relação aos utilizados atualmente na fabricação de micro robôs. O design simples da maior parte dos dispostivos criados (geralmente um cilindro ou uma esfera) os impede de realizar tarefas mais sofisticadas. "Desenvolvemos uma técnica totalmente nova, inspirados em microorganismos aquáticos que possuem estruturas geométricas complexas e são mais finos do que um fio de cabelo humano", explica Wei Zhu, um dos autores do projeto.

Em testes na universidade, os pesquisadores incorporaram nanopartículas capazes neutralizar toxinas que, ao entrarem em contato com moléculas da substância, se tornam vermelho-fulorescente. A capacidade de desintoxicação do Microfish foi medida pela intensidade de seu brilho. "Outra possibilidade interessante que queremos explorar é encapsular medicamentos dentro do microfish e usá-los para entregar a droga no local correto", explica Li Jinxing, o outro autor do estudo.

Via UC San Diego

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ