Samsung está produzindo chips dedicados à mineração de criptomoedas

A Samsung confirmou hoje que está produzindo chips ASIC ("application specific integrated circuits", ou circuitos integrados específicos para uma aplicação) voltados especificamente para a mineração de criptomoedas como Bitcoin. Em uma declaração enviada ao TechCrunch, a empresa disse que suas fábricas estão "atualmente engajadas na fabricação de chips de mineração de criptomoedas". 

No mesmo comunicado, a empresa disse que "não pode dar mais detalhes sobre seus clientes", que seriam os compradores desses chips. Esses circuitos são diferentes dos processadores de computadores ou celulares porque, enquanto os chips de nossos dispositivos são capazes de realizar diversas tarefas diferentes, esses ASICs funcionam apenas para minerar criptomoedas. 

Corrida do ouro virtual

Esse anúncio, como o TechCrunch aponta, surgiu após ao menos uma reportagem coreana indicar que a Samsung teria feito uma parceria com uma empresa chinesa para produzir esses chips. A medida faz sentido, pois a Samsung já produz chips de memória de alta capacidade para placas de vídeo, que também são usadas às vezes para mineração. A empresa, portanto, já tem a expertise necessária para produzir os ASICs.

Trata-se de um mercado bastante promissor, pois o súbito crescimento do preço da bitcoin em 2017 atraiu muitas pessoas a equipamentos de mineração de criptomoedas, segundo o The Verge. Por enquanto, no entanto, esse mercado é dominado na China por duas empresas, chamadas Bitmain e Canaan Creative, que produzem máquinas completas de mineração para usuários finais ou empresas. 

Concorrência

Mas essas duas empresas dependem da fabricante de chips TSMC para desenvolver os circuitos integrados dos equipamentos que vendem. A TSMC é uma empresa taiwanesa que já concorre com a Samsung em outros setores, como no fornecimento de chips para iPhones. É provável, portanto, que a empresa coreana esteja de olho em outro mercado da empresa taiwanesa.

De fato, ela tem bons motivos para isso. De acordo com o Quartz, a demanda por chips ASIC para mineração de criptomoedas foi responsável por acrescentar entre US$ 350 milhões e US$ 400 milhões (de R$ 1,1 biilhão a R$ 1,26 bilhão) à receita trimestral da TSMC. A Samsung, que acabou de superar a Intel como maior fabricante de chips do mundo, provavelmente pode acrescentar um valor semelhante à sua própria receita entrando nesse setor. 

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ