Snowden defende a criação de um acordo global de privacidade

Edward Snowden dedendeu nesta sexta-feira, 25, a criação de um acordo internacional sobre os direitos de privacidade dos cidadãos do mundo todo. A campanha, batizada de "Tratado Snowden", foi elaborada por Glenn Greenwald, o jornalista que recebeu os arquivos de Snowden em 2013.

Nesta semana, o ativista usou um podcast para explicar por que defende o tratado. "Ao invadir as comunicações privadas de todo o mundo, você está recebendo das pessoas informações sobre o que mais importa para elas, sabendo sobre a viagem que fizeram, os livros que estão lendo, coisas que compram e até pessoas que amam. Essas indicações podem dizer sobre quem são as pessoas e quem elas querem ser, são coisas intensamente particulares. Tradicionalmente, as pessoas só compartilham essas informações com quem confiam", afirmou. "Se o governo sabe de tudo isso, independentemente de termos feito algo errado ou não, ele ganha um poder sem precedentes para usar as informações, ainda mais quando os programas que captam as informações são regulados por uma política secreta", complementou Snowden.

De acordo com Snowden, a elaboração de um tratado como o que é proposto pode levar anos para ser concluída, mas é preciso começar a pensar no assunto. "Temos que garantir um acordo sobre a privacidade da informação, não só para desfrutar, mas também para protegê-la", declara.

David Miranda, companheiro de Greenwald, afirmou que especialistas jurídicos de segurança e vigilância na internet teriam elaborado um esboço. O documento teria sido compartilhado até com alguns países.

Via BusinessInsider

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ