Vírus da herpes pode curar câncer de pele, dizem cientistas

Uma nova droga baseada em um vírus de herpes geneticamente modificado foi usada para tratar pacientes com tipos agressivos de câncer de pele. O resultado foi bastante promissor e abre esperanças para o tratamento de outros tipos de câncer.

O tratamento, chamado de T-VEC, utiliza uma modificação do vírus que não produz a proteína que permite atacar as células saudáveis. As células cancerosas, por sua vez, produzem sua própria versão da mesma proteína e, quando combinada com o vírus, infecta as células que contém a doença. A partir daí o vírus se espalha e é capaz de matar as células cancerosas.

"Eles modificam o vírus de três maneiras. Primeiro, fazem com que pare de causar herpes. Segundo, fazem com que cresça apenas nas células cancerígenas e por último o tornam atraente para o sistema imunológico. Por isso, quando injetado, ele mata o tumor e ativa o sistema imunológico, que caça outros tumores para matá-los", explica Richard Marais, do Cancer Research UK.

Em uma fase experimental os pesquisadores injetaram T-VEC em um grupo com 400 pacientes com casos de câncer de pele considerados agressivos. 25% responderam ao tratamento e 10% não apresentaram sinais de câncer remanescente. Entre todos os participantes, a média vida do grupo tratado com o vírus modificado foi de 41% enquanto os que não receberam o tratamento viveram 21,5 ,eses em média.

A droga já foi apresentada aos órgãos de saúde dos Estados Unidos e da Europa para aprovação. Os pesquisadores acreditam que o medicamento possa estar disponível para uso em pacientes até 2017 e a ideia é começar a testar o desempenho em outros tipos de tumor. Os resultados foram publicados no Journal of Clinical Oncology.


Via Gizmodo e BBC

 

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ