Xiaomi explica por que lançou o Mi 6 sem entrada para fones de ouvido

Quando a Apple lançou o iPhone 7 sem entrada para fones de ouvido, era de se imaginar que outras fabricantes de smartphones poderiam apostar no mesmo recurso em seus próximos flagships. Depois do Moto Z, agora é a vez de o Mi 6, da Xiaomi, chegar ao mercado sem a entrada de 3,5 mm.

Segundo a companhia, a mudança visa dar mais espaço para outros componentes sem precisar aumentar o tamanho do celular. Como o telefone ainda não chegou ao mercado – o que está marcado para acontecer no dia 28 –, os usuários ainda não puderam desmontar o telefone para analisar por conta própria se a retirada da entrada valeu mesmo a pena.

Reprodução

Assim como aconteceu com a Apple e a Motorola, a Xiaomi recebeu diversas críticas por adotar a mudança. A principal reclamação deve-se ao fato de que, sem o conector, não é possível carregar o aparelho e ouvir músicas ao mesmo tempo. Além disso, o usuário vai precisar de um adaptador ou comprar fones específicos para o telefone.

Apresentado na última quarta-feira, 19, o Mi 6 chega ao mercado com configurações robustas. Ele traz tela de 5,15 polegadas com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels), processador Snapdragon 835 com oito núcleos, 6 GB de memória RAM, armazenamento interno de 64 GB ou 128 GB e bateria de 3.350 mAh. 

O aparelho será vendido em três opções: com 64 GB, por 2.499 yuan (R$ 1.127); com 128 GB, por 2.899 yuan (R$ 1.308); e na edição "cerâmica", que possui detalhes em ouro e vem com 128 GB, por 2.999 yuan (R$ 1.353). Ainda não há previsão para a comercialização fora da China.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ