Profissionais de TI pedem aumento salarial e participação nos lucros

Os trabalhadores de TI de São Paulo e região metropolitana -- que nos últimos nove anos tiveram reajuste acima da inflação --  definem amanhã o aumento salarial e as principais reivindicações que serão levadas à negociação coletiva para 2014. Esta será a última assembleia da categoria, que já teve outras 11 reuniões este mês em regionais do Estado.

Com abrangência de mais de 110 mil trabalhadores, a campanha salarial da categoria de TI paulista foi lançada no dia 23 de novembro. O Sindicato dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação (Sindpd) quer para 2014, além do aumento real, a ampliação da obrigatoriedade de apresentação de proposta de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e do Vale Refeição para todas as empresas.

As principais reivindicações já tiveram alterações em 2013. Antes, apenas empresas com mais de 50 funcionários precisavam apresentar proposta de PLR e o Vale-refeição era obrigatório a profissionais com jornada de oito horas que trabalhassem em firmas com mais de 100 de empregados. A partir de 2013, a obrigatoriedade de PLR passou para companhias com mais de 40 profissionais e o VR passou a valer também para empresas com mais de 50. A expectativa agora é a de que a ampliação valha independentemente do quadro de funcionários.

O crescimento contínuo do setor será levado em consideração na hora de negociar, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação (Sindpd), Antonio Neto. “Com a economia crescendo menos, as negociações estão resultando em aumentos que não superam a inflação. O setor de TI, porém, vem apresentando expansão de mais de 10% anualmente de acordo com dados das consultorias da área, o que deve refletir na ampliação dos benefícios e no reajuste salarial da categoria”, afirma.

A participação dos empresários em relação à capacitação dos profissionais também será novamente discutida na negociação. “Vamos colocar na mesa mais uma vez a questão do subsídio à qualificação do trabalhador de TI. Os valores de cursos de especialização na área não condizem com a remuneração do trabalhador. Por isso, queremos ter determinado na nossa convenção coletiva a obrigatoriedade das empresas auxiliarem seus funcionários a se capacitarem”.

A Assembleia será realizada às 9h de amanhã na sede do Sindpd, localizada à Avenida Angélica, nº25, no bairro Santa Cecília, em São Paulo. São esperados cerca de 500 trabalhadores e, se aprovada, a pauta será apresentada ao Sindicato Patronal e a negociação da proposta começa em janeiro.

Via: Sindpd 





RECOMENDADO PARA VOCÊ