Olhar Digital Pro

Google

Acusado de monopólio pelo governo, Google diz que a internet é livre

Leonardo Pereira, editado por Marcelo Gripa 14/02/2014 15h48
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Há alguns dias o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, levantou polêmica ao sugerir que o maior buscador da internet brasileira pode ameaçar os negócios das teles e das TVs a ponto de "engolir os dois". "Acho que o Google está se tornando o grande monopólio da mídia", opinou ele.

A posição do ministro não é unânime. Cris Camargo, gerente de Marketing do IAB Brasil, considera que embora as TVs exerçam papel importante no país, a comunicação está evoluindo através dos meios digitais. "Acredito que toda a indústria irá se reorganizar. As TVs irão se digitalizar, a internet estará em todos os meios. Não haverá ameaça, mas sim reorganização e integração", avalia.

E a gigante de buscas não produz uma linha sequer de conteúdo, o que a permite se esquivar da polêmica. Quando procurada pelo Olhar Digital para comentar a declaração de Bernardo, a empresa se limitou a dizer que "a internet é o ambiente mais livre e competitivo do mundo".

CAMPEÃO DA MÍDIA

Por mais que não ponha a mão na massa diretamente, o Google indexa material produzido por entidades e internautas do mundo todo, o que a tornou a maior empresa de mídia do planeta e lhe rendeu dores de cabeça.

Na França, eles tiveram de pagar o equivalente a R$ 161 milhões para manter o Google News, caso que abriu campo para que se questionasse os métodos da empresa em toda a Europa. E no Brasil a ANJ (que representa 90% dos jornais do país) recomendou que seus associados deixassem a ferramenta, que desde 2011 ficou esvaziada.

Esse pessoal está de olho no dinheiro que a gigante de buscas ganha ao associar anúncios com o material produzido por eles - afinal, a receita publicitária do Google supera a de toda a mídia impressa dos EUA.

CENÁRIO BRASILEIRO

No Brasil a internet ainda não chega nem perto da TV, em termos de relevância no mercado publicitário. Somente 15% dos investimentos feitos por anunciantes daqui vão para a web. Ainda assim, o Google possui o nome mais forte do setor.

Basta fazer as contas: 61% da verba de anunciantes que vai para a internet no Brasil estão nas mãos de empresas de pesquisas; o Google responde por 96,17% das buscas realizadas no país, então quase todo o dinheiro fica com ele.

Não foi só o Paulo Bernardo que prestou atenção a esses números, a presidenta Dilma Rousseff também já levantou seu radar e botou a Receita Federal para analisar a contabilidade da companhia. O órgão procurará possíveis crimes de sonegação fiscal cometidos por empresas de tecnologia - o que também envolve o Facebook.

As companhias serão investigadas por comercializar serviços aqui via cartões de créditos internacionais, recebendo em subsidiárias estabelecidas em outros países. Para o governo, o modelo de negócios precisa ser revisado porque utiliza brechas que permitem o pagamento de menos impostos.

O Google respondeu ressaltando os investimentos feitos no país desde sua chegada, em 2006, e afirmando: "Nós pagamos todos os impostos que são devidos no Brasil, assim como em todos os outros países onde operamos." 
Google Mídia Jornais Brasil Publicidade online
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você