Alphabet: Google pode perder até US$ 4 bilhões com empresa-mãe

Os negócios do Google não relacionados à internet podem gerar perdas de até US$ 4 bilhões para a Alphabet, empresa-mãe da gigante de tecnologia, de acordo com um comunicado do Bank of America a seus investidores.

Segundo o banco, a reestruturação da gigante de tecnologia, que vai separar os serviços de internet como a busca, o YouTube e o Android, de outros negócios, como a Calico, o projeto de banda larga de alta velocidade e a Life Sciences, poderá trazer grandes perdas, já que até agora poucas empresas do grupo realmente geram lucros - as exceções são Nest, Dropcam e Fiber.

A previsão para 2016 é de que essas empresas faturem US$ 500 milhões, com um lucro bruto de US$ 150 milhões, mas o restante dos empreendimentos do grupo não deve gerar ganhos. Segundo o analista Justin Post, isso acontece porque muitas companhias ainda estão em estágios iniciais, na fase de pesquisas, que costuma custar muito e gerar pouco dinheiro. A reestruturação também deve custar caro, pelo menos no início.

Estimativas

O analista conta que existem dois métodos para estimar as perdas das empresas da Alphabet:

  • No primeiro deles, os negócios do Google têm margens operacionais - índices que medem o quanto da receita líquida vem das atividades da empresa geradas pela conta 'lucro operacional - receita líquida' - ajustadas em 53%, e os do YouTube em 15%. Partindo desse pressuposto, Post estima que as empresas podem perder até US$ 4 bilhões por ano.
  • O segundo método analisa os anúncios de emprego da companhia, buscando informações sobre dados e salários. De acordo com Post, dos funcionários contratados pelo Google nos últimos cinco anos, 16% trabalharão em empresas do Alphabet. Somando seus salários e benefícios e descontando da previsão de lucro, a estimativa é de uma perda de US$ 2,7 bilhões.
Cenário 

Apesar dos números pouco animadores, o analista acredita que a reorganização deve impulsionar as ações da Alphabet, por conta dos negócios de internet da empresa. Na prática, isso pode resultar em um aumento entre US$ 50 e US$ 150 por ação.

Post alerta, no entanto, que o efeito contrário pode acontecer com a parte "não-Google" da Alphabet, que pode acabar tendo um valor negativo atribuído às ações. 

A reestruturação deve acontecer no final de 2015.

Via BusinessInsider

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ