Astrônomos encontram planeta anão depois de Plutão

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan confirmou a existência de mais um planeta anão no sistema solar. O "novo" planeta tem cerca de 531 quilômetros de diâmetro e fica a cerca de 13,67 bilhões de quilômetros de distância do Sol.

Conhecido atualmente como 2014 UZ224, o planeta foi avistado pela primeira vez em 2014, mas sua existência só pode ser confirmado agora. De acordo com a NPR, ele leva cerca de 1000 anos terrestres para dar uma volta em torno do Sol, e por causa de seu tamanho reduzido pode acabar não sendo considerado nem mesmo um planeta anão pela União Astronômica Internacional

Descoberta

O planeta foi descoberto pelo astrofísico David Gerdes e uma equipe de alunos seus. Gerdes trabalha no Dark Energy Survey, um projeto voltado para a descoberta de informações sobre a "energia escura" do universo, que utiliza a Dark Energy camera para tirar fotos dos astros. Como uma espécie de "lição de casa" para seus alunos, Gerdes sugeriu que eles usassem as imagens da câmera para identificar planetas do sistema solar.

Normalmente, fotografias do céu são tiradas periodicamente, e o movimento dos objetos da fotografia permite identificar cada um dos objetos representados como estrelas, planetas, etc. No entanto, a Dark Energy Camera tirava fotos de maneira apenas esporádica, e não regular. Por isso, os alunos de Gerdes criaram um software que era capaz de identificar objetos nas fotos mesmo assim.

Por meio desse software, Gerdes conseguiu em seguida confirmar a existência do 'novo' planeta anão. De acordo com o astrofísico, a órbita completa do planeta ainda é desconhecida, já que ele leva mais de 1000 anos para dar uma volta no Sol. Segundo o Washington Post, os cientistas supeitam que além de Plutão e desse planeta recém-descoberto, pode haver ainda uma centena de planetas desse tipo no nosso sistema solar.

Algo maior escondido

Ainda que os planetas sejam objetos incrivelmente grandes, por conta da distância que separa a Terra dos demais planetas do sistema solar, pode levar muito tempo até que sua existência seja confirmada. Embora a confirmação da existência do 2014 UZ224 seja interessante, Gerdes e outros astrônomos estão buscando também o "nono planeta", um corpo celeste do nosso sistema que teria massa 10 vezes maior que a da Terra.

Relatos sobre a existência desse planeta número nove começaram a aparecer em janeiro deste ano, quando dois astrofísicos observaram uma movimentação irregular nos objetos do cinturão de Kuiper (área do sistema solar onde estão localizados Plutão e outros corpos celestes). A existência de um planeta com 10 vezes a massa da Terra, embora não confirmada, explicaria perfeitamente essa movimentação. 

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ