Empresas e sindicato de TI discutem reajuste salarial em SP

O Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação (Sindpd) e o Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Serviços de Informática (Seprosp) se reuniram na última quinta-feira, 14, para discutir um reajuste no salário dos profissionais de TI no estado de São Paulo. No entanto, as associações não entraram em acordo.

O sindicato que defende os trabalhadores recusou a proposta que aumenta em 4% o salário dos profissionais, levando em consideração as expectativas para o crescimento do setor em 2016 e os índices da inflação. O sindicato que defende as empresas sugeriu que o reajuste fosse feito de forma parcelada, com 2% em janeiro e outros 2% em julho deste ano.

Segundo Antonio Neto, presidente do sindicato dos profissionais de TI, as negociações estão interrompidas por enquanto. "Se o patronal quiser renegociar, ele vai se reunir e vai nos chamar. Vou preparar as nossas baterias, conversar com os trabalhadores, visitar as empresas e dizer a eles qual foi a proposta", afirmou, em comunicado. Para ele, a proposta dos empresários é "indecorosa".

A proposta original do sindicato dos trabalhadores, sugerida na primeira reunião entre os dois lados, falava de um aumento na casa dos 13%. A reunião desta semana terminou sem uma data fixada para a realização da próxima negociação.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ