Executivo do Facebook defende crescimento da rede social a qualquer custo

Os tempos difíceis do Facebook parecem estar longe de passar. Após uma série de denúncias ligadas a privacidade, um memorando distribuído em 2016 pelo executivo Andrew “Boz” Bosworth está gerando indignação na Internet. Na peça, além de relativizar práticas questionáveis, o empresário cita eventuais custos das estratégias da rede social para crescimento “a qualquer custo”.

Mantido em segredo na sede do Facebook até então, o memorando foi publicado pelo BuzzFeed News. No texto, Bosworth dá a entender que táticas e estratégias questionáveis adotadas pelas redes sociais são justificáveis enquanto o Facebook “conectar as pessoas”. Leia o trecho:

“Nós conectamos pessoas. Ponto. É por isso que todo o trabalho que temos para o crescimento é justificável. Todas as questionáveis práticas de importação de contatos. Toda a linguagem sutil que ajuda as pessoas a continuarem pesquisáveis pelos amigos. Todo o trabalho que fazemos para gerar ais comunicação. O trabalho que nós provavelmente teremos que fazer na China algum dia. Tudo”, escreveu Bosworth.

O memorando, contudo, começa a ganhar tons ainda mais questionáveis quando o executivo começa a falar sobre as consequências do trabalho do Facebook. “Então, nós conectamos mais pessoas. Isso pode ser ruim, se eles fizerem isto negativamente. Talvez isto custe a vida de alguém por expor alguém ao bullying. Talvez alguém morra em um ataque terrorista coordenado nas nossas ferramentas. E ainda nós conectamos pessoas”, escreveu.

Após a publicação do memorando, Andrew “Boz” Bosworth se manifestou no Twitter. Em comunicado, o Bosworth disse que não concorda com a sua própria publicação e que o objetivo foi trazer à tona discussões que ele achava que mereciam maiores discussões na companhia. O executivo finaliza dizendo que se importa profundamente com a forma como os produtos da empresa afetam as pessoas e que leva a sério a sua responsabilidade de gerar impactos positivos.

De acordo com uma publicação do The Verge, o memorando vazado na noite desta quinta-feira, 29, foi recebida de forma mista dentro da empresa. Boa parte dos funcionários tiveram reações negativas aos comentários feitos por Bosworth. No entanto, houve quem criticasse os responsáveis pelo vazamento da carta.

Quem também se manifestou sobre o memorando foi o CEO do Facebook. Segundo Zuckeberg, Andrew “Boz” Bosworth é um “um líder talentoso que fala muitas coisas provocativas” e que o texto de sua autoria é algo do qual a maioria das pessoas na empresa discordam. Zuckerberg diz ainda que nunca acreditou que os “fins justificam os meios”, em respostas à suposta tática de crescimento a “qualquer custo” da rede social.

Nos últimos dias, o Facebook tem sido alvo de muitas críticas ao redor do mundo. A fase mais crítica da má fase começou com denúncias de uso inapropriado de dados pessoais de usuários da rede social pela empresa Cambridge Analytica. Além disso, acusações de espionagens e de manutenção de vídeos deletados por usuários também chamara a atenção nesta semana.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ