Facebook é acusado de fornecer informações enganosas na compra do WhatsApp

A Comissão Europeia denunciou o Facebook por conceder informação enganosa durante o processo de compra do WhatsApp, em 2014. De acordo com o órgão, a rede social havia declarado que não associaria as contas dos usuários dos dois serviços, mas isso acabou acontecendo em agosto deste ano.

Segundo a comissária Margrethe Vestage, as empresas são obrigadas a fornecer informações precisas à Comissão durante o processo de fusão, o que não teria ocorrido nesse caso. A visão neste momento é de que a empresa forneceu dados enganosos ou incorretos, o que seria uma irregularidade.

Tudo estava bem até agosto deste ano, quando houve a confirmação de que as contas do WhatsApp seriam unidas aos perfis no Facebook por meio do número telefônico. A justificativa era aumentar a relevância de anúncios e melhorar a sugestão de amigos, mas a Comissão Europeia julgou que isso ia além do que havia sido combinado na ocasião da fusão entre as duas empresas em 2014.

Vale lembrar que a denúncia da Comissão Europeia não desfaz a compra do WhatsApp pelo Facebook. A rede social tem até o dia 31 de janeiro para se reportar sobre o caso. A maior dúvida é se essa omissão foi intencional ou por pura negligência. Se for declarado culpado, o Facebook pode receber uma multa equivalente a 1% do seu faturamento total, o que equivale a cerca de R$ 420 milhões.

A Europa tem sido uma pedra no sapato da união entre o Facebook e o WhatsApp. A empresa foi forçada a parar de coletar dados de usuários do WhatsApp, pelo menos temporariamente, e agora precisa responder se a fusão como um todo foi irregular. 

Via El País e Engadget

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ