Google entra com recurso para não pagar multa de R$ 9 bilhões na Europa

O Google não vai aceitar numa boa a multa de cerca de R$ 9 bilhões que recebeu por manipular resultados de busca na Europa. De acordo com a Reuters, a empresa decidiu apelar contra a decisão da União Europeia.

No final de junho, o bloco anunciou a multa recorde para o Google por causa da sua estratégia de exibição de resultados de buscas por produtos: o Google dava preferência para o seu próprio serviço de comparação de preços nas suas páginas de buscas, o que foi considerado pela União Europeia como uma forma de dificultar a concorrência.

"A estratégia do Google para seu serviço de comparação de preços não estava apenas atraindo clientes com a criação de produtos que fossem melhores que os dos concorrentes. Em vez disso, o Google abusou da sua dominância de mercado como um mecanismo de busca ao promover seu próprio serviço de comparação de preços nos resultados das pesquisas e rebaixando os de competidores", disse, em nota, a comissária Margrethe Vestager, da União Europeia.

A intenção de entrar com recurso contra a decisão já tinha sido manifestada na época em que a condenação foi divulgada. O Google diz que a comissão que analisou o caso não levou em consideração os benefícios que a abordagem da empresa leva aos consumidores.

Ao The Next Web, comissários da União Europeia não comentaram sobre a possibilidade de o Google reverter a decisão, apesar de reconhecerem que o recurso da empresa era óbvio. "A multa vai continuar e vai aumentar se as ações do Google não forem satisfatórias e não restaurarem princípios não-discriminatórios", explicou Umberto Gambino, que está no caso desde 2012.

Celular, fone de ouvido, notebook. A BlackFriday está recheada de ofertas, mas nem todas são vantajosas. Com a nova extensão do Olhar Digital, você encontra o menor preço e também cupons de descontos. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ