Gravadoras acusam YouTube de pagar royalties insuficientes

O EUA Recording Industry Association of America (RIAA), responsável pela indústria de música e gravadoras dos Estados Unidos, criticou o YouTube alegando que o serviço paga baixos royalties aos detentores dos direitos autorais.

No levantamento anual do RIAA, o órgão chamou de ‘magros’ os royalties pagos pelo YouTube e demais serviços de streaming gratuito. Apesar do gasto dos americanos com música ter subido 0,9% no último ano e as receitas de streaming terem aumentado 29%, o RIAA declarou que os serviços pagos ainda crescem lentamente.

O chefe do RIAA postou que as receitas de serviços de streaming sob demanda de vídeo, como o YouTube, têm sido escassas, arrecadando bem menos que de outros tipos de serviço de música e que o problema está piorando. Além disso, o executivo comentou que algumas gigantes da tecnologia enriquecem à custa de quem realmente produz vídeos e música.

Em resposta, o Google declarou que até então já pagou mais US$ 3 bilhões para a indústria da música e que esse número vem crescendo a cada ano. A empresa se defendeu ressaltando a criação de um app do YouTube voltado apenas para música, o que proporcionaria ainda mais receita para os artistas e gravadoras.

Vale lembrar que o YouTube também lançou um serviço de assinatura, o YouTube Red, que inclui músicas e shows exclusivos, além de permitir que usuários assistam a vídeos no site sem ver propagandas. Por ora, no entanto, ele está disponível apenas nos EUA.


Via TheGuardian.  

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ