Morte do rei faz Facebook desativar publicidade na Tailândia

O Facebook suspendeu temporariamente todas as propagandas mostradas aos seus usuários na Tailândia. O motivo dessa medida é honrar a morte do rei Bhumibol Adulyadej, que faleceu ontem aos 88 anos em Bangkok após 70 anos de reinado. De acordo com a rede social, remover propagandas é um costume cultural durante o período de luto.

Segundo o The Next Web, essa é a primeira vez que o Facebook desativa propagandas para um país inteiro. A rede social não foi o único veículo de comunicação a se manifestar sobre a morte do monarca. O Google também mudou a sua página de pesquisas no país para um esquema de cores mais adequado, e o Bangkok Post, principal jornal de língua estrangeira no país, deixou sua página principal em branco e preto em homenagem a Adulyadej.

De acordo com o Guardian, todos os canais de TV do país, incluindo redes estrangeiras, suspenderam sua programação e passaram a transmitir uma imagem fixa em branco e preto. Jornais impressos, incluindo estrangeiros, também saíram sem cor no dia da morte do rei.

Luto longo

A rede social não informou por quanto tempo deixará de mostrar publicidade aos seus usuários tailandeses. No entanto, em seu comunicado, ela ressalta que as propagandas ainda esão funcionando normalmente em outros países, e que anunciantes tailandeses ainda podem mostrar seus anúncios a usuários do Facebook de outros países sem problemas.

Se a suspensão dos anúncios durar o mesmo tanto que o luto oficial, porém, a retomada das publicidades ainda deve demorar. De acordo com a CNN Money, o Palácio Real tailandês informou que todos os prédios do governo deixarão a bandeira em meio mastro por um mês, e todos os funcionários públicos deverão vestir roupas pretas por um ano.

Ainda segundo o site, essa não é a primeira vez que uma gigante da tecnologia toma medidas desse tipo. No ano passado, o Yahoo desativou toda sua publicidade na Cingapura e deixou sua página inicial em preto e branco para honrar a morte de Lee Kuan Yew, o fundador da cidade-estado.

Olho do furacão

Não se trata, contudo, de um luto meramente protocolar. segundo o Guardian, o rei Adulyadej foi responsável por manter ao menos um pouco de estabilidade no país ao longo dos mais de 20 golpes ou tentativas de golpes de estado que a Tailândia sofreu durante seu reinado.

Para a enorme maioria dos tailandeses, Adulyadej foi rei ao longo de suas vidas inteiras. No país, o hino real é tocado nos cinemas antes dos filmes, e as pessoas se levantam para ouví-lo. Quando o rei saía às ruas, cidadãos, mesmo das classes sociais mais altas, se jogavam a seus pés. Essa popularidade permitiu que o rei mantivesse alguma restrição sobre o poder executivo da Tailândia ao longo dos seus 70 anos de reinado.

A morte dele faz da rainha Elizabeth II da Inglaterra a monarca viva com maior reinado. O primeiro-ministro da Tailândia, Prayuth Chan-ocha,reveleou que Adulyadej será sucedido por seu filho, o príncipe Maha Vajiralongkorn. No entanto, a cerimônia de coroação ainda levará algum tempo, já que o príncipe solicitou um período para lamentar a morte de seu pai.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ