Novo processador da IBM equivale ao cérebro de um roedor

Um novo superprocessador produzido pela IBM pode ter a capacidade digital equivalente a um cérebro de um pequeno roedor, tanto em velocidade quando capacidade de tomar decisões sozinho. O dispositivo é grande e parece um artefato saído de algum filme de ficção científica dos anos 70, segundo repórter do site de tecnologia Wired, que visitou as instalações da IBM e conheceu o projeto que pode significar o futuro da computação cognitiva.
 
O sistema que é mostrado na foto abaixo é composto de chips específicos para o dispositivo e placas de circuito com tecnologia confidencial que, quando combinadas, comportam-se como neurônios - peças básicas de constituição de qualquer cérebro biológico. Segundo os cientistas envolvidos no projeto, o IBM 'Rodent Brain', que é como o super processador é chamado, é constituído de aproximadamente 48 milhões de neurônios artificiais, quantidade semelhante ao número de células nervosas nos cérebro de roedores. Já no cérebro humano, esse número é de aproximadamente 86 bilhões.


Reprodução

O departamento responsável pela criação do cérebro digital na IBM é o mesmo que cuida da produção de novas tecnologias relacionadas à computação cognitiva. A tecnologia empregada nos chips que compõem o 'Rodent Brain' é a neuromórfica, algo que já estava sendo desenvolvido e testado em segredo nos laboratórios e que agora pode possibilitar a criação de novos chips para computadores e celulares, o que pode aumentar exponencialmente a capacidade de processamento dos dispositivos que temos hoje em circulação no mercado.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ