Realidade virtual deve faturar US$ 861 milhões em 2016

Uma estimativa feita pela consultoria Superdata Research aponta que em 2016 o setor de realidade virtual deve faturar US$ 861 milhões. Até 2020, a previsão do banco de investimentos Goldman Sachs é de que a área gere uma receita de US$ 110 bilhões, incluindo a realidade aumentada à indústria.

De olho no potencial do setor, Google Samsung já investem pesado para atrair o consumidor. A loja de aplicativos do Google, por exemplo, já conta com uma série de aplicativos de realidade virtual, e o número deve crescer nos próximos meses. "Além disso, o Google, que já domina o mercado de dispositivos de realidade virtual baratos, com o Carboard, deve se arriscar também na área de dispositivos mais luxuosos. Rumores apontam que a empresa está desenvolvendo um concorrente do Gear VR, da Samsung", conta Joost van Dreunen, chefe de pesquisas da Superdata.

Segundo ele, a Samsung tem como plano para este ano expandir o número de clientes, ao unir os óculos de realidade virtual com as encomendas do Galaxy S7, smartphone lançado no final de semana passado no Mobile World Congress, em Barcelona. O executivo explica ainda que é bem provável que o usuário ingresse no setor graças aos óculos adaptados para smartphones, que possuem um valor mais baixo. "Com o Oculus Rift e o HTC Vive custando US$ 600 e US$800, o consumidor vai experimentar a realidade virtual através dos dispositivos móveis", explica.

Via VentureBeat

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ