Cinema evolui para manter público cativado

Qualidade de som e imagem subiu bastante nos últimos anos

Links:
As surpreendentes imagens do 4K

Se os “home theaters” mais sofisticados revolucionaram a ideia do “cineminha em casa”, as grandes salas de cinema também evoluíram bastante para continuar atraindo o público. Tudo chama atenção nas salas mais modernas, mas os cinemas iMax são os que realmente surpreendem os mais fanáticos por áudio e vídeo de altíssima qualidade.
 

Só para começar, olha o tamanho da tela... Normalmente, as telas de cinema têm 5 metros de altura por 12 de largura; no iMax a proporção é ainda maior – são mais de 200 metros quadrados (16 metros de altura por 22 de largura). A ideia é, além de trazer detalhes só possíveis de perceber em uma imagem tão grande, uma sensação total de imersão no filme.
 

Hoje totalmente digitais, as salas iMax contam com dois projetores 4K – resolução quatro vezes superior ao Full HD; o dobro dos 2K tradicionais do cinema. Para quem ainda não experimentou, é realmente surpreendente. Todo filme que vai parar em uma sala iMax, antes precisa passar por um processo de remasterização digital; o segredo, a empresa guarda a sete chaves. Mas eles afirmam que com o filme já pronto para as salas normais, são meses em salas de edição junto com o diretor e equipe técnica de cada filme. Afinal, tudo é melhorado: cenas, som, saturação, contraste, brilho e centenas de detalhes em praticamente todos os quadros.
 

Mas o número de salas deste gênero está crescendo tanto mundo afora que hoje já é comum encontrar o pessoal do iMax em todo o processo de produção dos filmes; do início ao fim. Nas cenas de maior detalhe, uma câmera especial proprietária da tecnologia iMax é utilizada. E, mais do que isso, o trabalho do pessoal de efeitos visuais precisa ser impecável, afinal qualquer falha fica fácil de se notar em uma tela com mais de 22 metros de comprimento.
 

O som também é algo impressionante; você já deve ter ouvido falar do 5.1 dos “home theaters” e, mais recentemente, até do 7.1, certo? Pois é, numa sala iMax, o som é de altíssima tecnologia também: 11.1; ou seja onze canais de áudio separados, mais uma bateria de subwoofer embaixo da tela que faz o espectador tremer na poltrona.
 

Bom, para não ficar atrás, as salas “normais” também estão mudando. Além do 3D, hoje já existem salas de cinema 4D. Há casos, por exemplo, em que além da qualidade de imagem de 4K, já superior ao cinema tradicional, existe uma série de sensações que o público sente no decorrer do filme.
 

Tudo é sincronizado por meio de uma memória eletrônica previamente configurada. A tecnologia é sul-coreana, mas faz sucesso entre os brasileiros. Além do movimento hidráulico que chacoalha as poltronas, duas baterias de ventiladores dão a sensação de ventania dentro da sala. E tem muito mais: spray d’água, jato de aroma, fumaça, luz estrobo e até uma “cobrinha” que prega susto em muita gente.
 

E você, já experimentou uma sala assim? Se já, conte o que achou pra gente. Ah, e imagine, enquanto estamos falando de altíssima definição 4K, sabia que os japoneses já estão testando câmeras e TVs 8K? No começo do ano a gente viu alguns modelos lá na CES, em Las Vegas. Acesse o link acima e confira tudo o que há de mais moderno no mundo das TVs e também do cinema; fique por dentro.



RECOMENDADO PARA VOCÊ