A China aprovou novas leis antiterrorismo que obrigam as empresas de tecnologia a prestarem contas quando solicitadas, incluindo descriptografar dados e informações.

De acordo com a Reuters, as novas leis entraram em vigor no domingo após ter caído uma disposição que exigia a todas as empresas a instalação de uma ‘backdoor’ em seus produtos. Agora, elas precisam, segundo as autoridades chinesas, prestar apoio e assistência técnica, incluindo a descodificação, quando solicitadas.

publicidade

Além disso, as leis promovem a criação de um centro de combate ao terrorismo e permitem o uso de armas contra invasores armados. Há também uma nova medida de ação contra atividades terroristas na internet, impedindo respostas não aprovadas do governo.

A China defende que as leis são semelhantes às de países ocidentais e que não serão usadas para violar a liberdade das pessoas.

Via TNW