EnglishPortugueseSpanish

A Hyperloop Transports Technologies, uma das startups de Elon Musk que trabalham para construir o sistema de transporte público do futuros, apresentou uma tecnologia chamada “levitação magnética passiva” para alimentar o seu protótipo.

O sistema é uma alternativa mais barata e mais segura que a levitação magnética regular, também conhecida como Maglev, que está atualmente em operação em trens de alta velocidade na China e na Europa.

publicidade

O Maglev exige complexas e dispendiosas atualizações de infraestrutura, tais como fontes de energia colocados em intervalos ao longo da pista. Enquanto que a levitação magnética passiva, que foi desenvolvida pelo falecido físico Richard Post em 2000, usa circuitos não motorizados de arame na pista e ímãs permanentes na base do trem para criar a levitação.

“Utilizar um sistema de levitação passiva irá eliminar a necessidade de estações de energia ao longo da pista, o que torna este sistema o mais adequado para a aplicação e vai manter os custos de construção baixos”, disse Bibop Gresta, chefe de operações da Hyperloop Transports Technologies. “De um aspecto de segurança, o sistema tem vantagens enormes, a levitação ocorre exclusivamente através do movimento, portanto, se qualquer tipo de falha de energia ocorre, os vagões continuariam a levitar e só depois de atingir velocidades mínimas iriam tocar o chão”.

Com essa tecnologia, o trem pode viajar até 1.223 km/h em um tubo à vácuo e sem atrito. Teoricamente, a viagem entre San Francisco e Los Angeles, que hoje leva até 5 horas de carro, levaria somente 30 minutos.

A empresa ainda não tem previsão de quando a tecnologia será lançada no mercado, mas prevê que mais novidades devem ser anunciadas nas próximas semanas.

Via The Verge