EnglishPortugueseSpanish

Um grupo de pesquisadores do Wyss Institute d Harvard, em parceria com a John A. Paulson School of Engineering and Applied Sciences, criou uma impressora 3D capaz de criar estruturas de metal detalhadas. Em vez de imprimir uma camada sobre a outra, como impressoras tradicionais, a criação dos pesquisdores consegue imprimir as estruturas livremente no ar.

A impressora utiliza tinta composta por nanopartículas de prata. Além da tinta, ela também utiliza um laser de programação precisa que esquenta a tinta assim que ela sai do extrusor da impressora, solidificando-a no ar. Com isso, é possível imprimir fios com espessura menor que a de um fio de cabelo. A equipe chama o método de “laser-assisted direct ink writing” (algo como “escrita direta em tinta assistida por laser”).

publicidade

Os pesquisadores detalharam o projeto em um artigo no Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). O maior desafio, segundo eles, foi ajustar a relação entre o laser e a tinta. Se ela fosse esquentada celo demais, ela se solidificaria dentro do extrusor, entupindo-o; se fosse tarde demais, ela não se ligaria ao restante da estrutura, e o método não funcionaria. Um vídeo mostrando a impressora em funcionamento pode ser visto abaixo:

Aplicações

Por meio desse método, é possível criar estruturas de metal flexíveis e com pequenos detalhes. Componentes desse tipo poderiam ser usados em futuros dispositivos vestíveis, bem como em sensores e em equipamentos médicos, segundo o Engadget.

De acordo com o TechCrunch, a tecnologia também pode ser útil para projetos que exijam prototipagem rápida. Outros componentes, como molas, escoras e encaixes, também poderiam ser impressos de maneira mais ágil em escalas menores. Mas segundo Jennifer Lewis, uma das pesquisadoras, o principal trunfo do método é que ele “não apenas inspira novos tipos de produtos como também move a fronteira de fabricação sólida de forma livre numa nova e empolgante direção”.