A empresa sueca LELO desenvolveu o que ela acredita ser “o preservativo do futuro”. À primeira vista, o produto, chamado HEX, parece ser comum, mas olhando atentamente é possível perceber hexágonos em sua estrutura, semelhante a um favo de mel.

A companhia afirma que o preservativo é mais forte e potencialmente mais confortável do que um produto tradicional. O modelo usado atualmente foi inventado por volta de 1920. “É meio que uma vergonha que, em 2016, ainda estamos usando um produto que é mais ou menos idêntico ao que era há cem anos atrás. Acredito que, com a tecnologia de hoje, podemos fazer muito melhor”, afirma Filip Sedic, fundador da LELO.

publicidade

Sedic, um engenheiro de formação, explica que o projeto é resultado de um trabalho de oito anos. O desafio era fazer algo que os homens quisessem usar. A empresa testou novos materiais, incluindo o poliuretano, um polímero bastante forte. Mas nos Estados Unidos, a Foods and Drug Administration, órgão responsável pela regulamentação dos produtos, exige que eles sejam produzidos em látex.

A solução foi então redesenhar o molde utilizado. Por isso surgiu a ideia do padrão de favo de mel. Sedic explica que quando é aplicada uma pressão no preservativo, ele se estende em seis direções a partir de qualquer ponto. Essa flexibilidade evita que ele se rompa, como os preservativos tradicionais.

O processo de fabricação da HEX a torna 2,5 vezes mais cara do que os preservativos tradicionais. No IndieGoGo, o produto sai por US$ 9,90 em uma embalagem com 3 unidades, US$ 19,90 para 12 unidades e US$ 34,90 para 36 unidades. O fundador da LELO, no entanto, parece não se preocupar com o valor.

Reprodução

Acreditamos que o maior problema com o preservativo é que as pessoas não querem usá-los. Então, precisamos fazê-las quererem usá-los. Normalmente, se algo parece legal, mesmo sendo caro, as pessoas querem levá-lo”, explica.

Via TechInsider