EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Os smartphones e relógios inteligentes possuem sensores para detectar sons, luzes, movimentos, direções e até condições climáticas. Mas ainda falta uma capacidade a esses dispositivos: a de sentir cheiros. Há mais de uma década, diversas empresas trabalham para conseguir desenvolver uma solução para esse desafio, mas ninguém obteve sucesso até agora.

Dificuldades

publicidade

Se conseguissem sentir cheiros, os dispositivos poderiam abrir novos horizontes para áreas como saúde, alimentação, higiene pessoal e até segurança. “Imagine ser capaz de analisar o que alguém comeu ou bebeu, baseado nas indicações químicas que a pessoa emite; detectar doenças em estágio inicial através de um aplicativo ou sentir o cheiro do medo em um potencial terrorista. O odor é uma peça importante do quebra-cabeças”, afirma o investidor de riscos, Redg Snodgrass.

O problema de um sensor olfativo, segundo o engenheiro químico David Edwards, da Universidade de Harvard, é que o aroma não é uma energia, diferente da luz e do som. Assim, seria necessário um tipo de sensor diferente para cada cheiro.

Outra dificuldade está no fato de que ainda não se sabe como os humanos e animais detectam e interpretam os cheiros. “A biologia do olfato ainda é uma fronteira da ciência, muito conectada à fronteira da neurociência”, explica Edwards.

Outras possibilidades

publicidade

É mais fácil que os celulares “entreguem” cheiros do que consigam detectá-los. Essa tecnologia inclusive já existe. Edwards é dono de uma empresa, a Vapor Communications, que produziu um aparelho cilíndrico que os usuários podem usar para emitir cheiros a partir de um app, assim como o Spotify emite comandos para o alto-falante do smartphone.

A holandesa Philips também segue nesse caminho. Recentemente, a companhia encaminhou um pedido de patente de um dispositivo que pode influenciar o comportamento dos usuários ao estimular seus sentidos, incluindo os aromas.

Futuro

O especialista em odores Avery Gilbert acredita que um dia os sensores olfativos serão algo bastante comum. Mas, para ele, a tecnologia será gradualmente adicionada ao dia a dia. “Eu não acho que vamos resolver tudo de uma vez”, afirma.

Uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a Samsung recentemente obteve a patente de um sensor capaz de sentir cheiros. O dispositivo poderia ser anexado a qualquer aparelho, incluindo smartphones.

Via Reuters