Responsável pelo desenvolvimento dos chips presentes em boa parte dos dispositivos móveis do mercado, a ARM está sendo vendida para o conglomerado japonês SoftBank por 24,3 bilhões de libras (R$ 105,7 bilhões). O valor equivale a 17 libras por ação, de acordo com a companhia britânica.

Segundo reporta o Engadget, foi a discussão em torno do Brexit que deu fôlego para o negócio, porque a saída do Reino Unido da União Europeia fez o valor da libra despencar 28% em relação ao iene japonês, o que deixou a ARM mais barata.

publicidade

A ARM teoricamente está protegida dos efeitos do Brexit por ter negócios pelo mundo todo, mas a discussão levantou o temor de que ocorra uma debandada de profissionais para outros países da Europa. Entretanto, as empresas divulgaram comunicado afirmando que o SoftBank dobrará o efetivo da ARM no Reino Unido dentro dos próximos cinco anos e também aumentará seu efetivo global.

Além disso, a companhia se comprometeu a manter o modelo de parcerias, a cultura e a marca da ARM intactos. Essas garantias são importantes para manter o que há de valoroso na ARM. Apesar de não montar processadores, a empresa licencia modelos para as principais fornecedoras do mercado, incluindo Qualcomm, MediaTeck e Samsung. Isso faz com que seus produtos estejam presentes em aparelhos de Apple, HTC e uma série de outras marcas.

O SoftBank é hoje um dos grandes nomes por trás do mercado de tecnologia global. O grupo é dono da operadora americana Spring, das divisões japonesas de Yahoo e Vodafone, e detém 28% do Alibaba, um dos principais varejistas chineses. O SoftBank também era dono da Supercell, criadora do jogo Clash of Clans, mas recentemente vendeu a empresa à Tencent (dona do WeChat) por US$ 8,6 bilhões.