Kim Dotcom, fundador do Megaupload, quer transmitir em tempo real a sua batalha na justiça contra os Estados Unidos. De acordo com os advogados de Dotcom, a transmissão pelo YouTube tem como objetivo oferecer “uma comunicação equilibrada e rápida, ao contrário da mídia tradicional e suas restrições”. Para garantir que informações sensíveis possam ser censuradas, a defesa sugere um atraso de 10 minutos na transmissão.

Fechado desde 2012, o Megaupload era um dos sites mais populares da internet. De acordo com os promotores, a página arrecadou mais de US$ 175 milhões, e deixou de pagar aos detentores de direitos autorais mais de US$ 500 milhões.

publicidade

Dotcom e os outros fundadores da página são acusados de conspiração, extorsão e  lavagem de dinheiro. Os réus afirmam, no entanto, que não podem ser responsabilizados por pessoas terem usado o site para fins ilegais.

O governo dos Estados Unidos se opôs ao pedido, mas ainda não houve decisão do juiz do caso.

Via BusinessInsider

 
 

O governo dos Estados Unidos se opôs ao pedido, mas ainda não houve decisão do juiz do caso.Dotcom e os outros fundadores da página são acusados de conspiração, extorsão e  lavagem de dinheiro. Os réus afirmam, no entanto, que não podem ser responsabilizados por pessoas terem usado o site para fins ilegais. Fechado desde 2012, o Megaupload era um dos sites mais populares da internet. De acordo com os promotores, a página arrecadou mais de US$ 175 milhões, e deixou de pagar aos detentores de direitos autorais mais de US$ 500 milhões.Kim Dotcom, fundador do Megaupload, quer transmitir em tempo real a sua batalha na justiça contra os Estados Unidos. De acordo com os advogados de Dotcom, a transmissão pelo YouTube tem como objetivo oferecer “uma comunicação equilibrada e rápida, ao contrário da mídia tradicional e suas restrições”. Para garantir que informações sensíveis possam ser censuradas, a defesa sugere um atraso de 10 minutos na transmissão.