EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A impressão 3D é apontada como uma das tecnologias que deve se popularizar nos próximos anos, ajudando em setores como medicina, dispositivos e até na alimentação das pessoas. A possibilidade, no entanto, preocupa especialistas em segurança.

Pesquisadores conseguiram mostrar recentemente como um celular pode “roubar” projetos desses aparelhos. Uma equipe de cientistas da computação conseguiu usar sensores de um smartphone comum para medir a energia eletromagnética e as ondas acústicas que emanam de uma impressora 3D. Com isso, eles conseguiram reunir dados suficientes para replicar os objetos impressos no dispositivo com uma precisão de até 94%, de acordo com a complexidade dos projetos.

publicidade

“Este é o primeiro trabalho que investiga a vulnerabilidade das impressoras 3D. Considerando que elas são a força motriz para a inovação e uma abordagem de produção emergente, é importante garantir que as impressoras 3D são seguras e que a propriedade intelectual no projeto 3D é bem protegida”, explica Wenyao Xu, um dos responsáveis pelo projeto.

Xu explica que poucas pessoas estão cientes do perigo potencial das impressoras 3D. “Este tipo de ataque pode acontecer em impressoras 3D individuais e industriais. Além disso, ele pode ser aplicado contra a bioimpressão e a impressão de metal, que possuem a segurança mais sensível”, afirma o professor.
Para ajudar o solucionar o problema encontrado, os pesquisadores desenvolveram novos algoritmos que dificutam o ataque, sem que seja preciso comprar novos dispositivos.

Via DigitalTrends

publicidade