EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Atualmente, a maioria dos smartphones considerados “tops de linha” é anunciada contendo proteção contra a entrada de água. Mas é preciso entender o que realmente significa essa proteção, já que a garantia da maioria desses aparelhos não cobre acidentes envolvendo água.

Para entender melhor, vamos usar o exemplo do iPhone 7. O novo smartphone da Apple conta com resistência IP67. Essa é a sigla de Ingress Protection, que define a capacidade do aparelho de proteger suas entradas contra a invasão de partículas de sujeira e de água. No caso do dispositivo da fabricante norte-americana, ele recebe nota 6 (a máxima possível) para a proteção contra poeira, e 7 contra água.

publicidade

Essa nota 7 do aparelho da Apple permite que o telefone suporte ser imerso em até um metro de profundidade durante 30 minutos sem danificar os componentes internos. Depois disso ou em profundidades maiores, o celular poderá apresentar problemas.

Reprodução

Isso tudo significa que você não vai poder usar o celular no fundo de uma piscina comum, por exemplo. E nem fazer vídeos longos com o telefone debaixo d’água. Na prática, a proteção contra água do iPhone 7 serve mais para proteger o telefone caso você deixe-o cair na piscina acidentalmente.

Para efeito de comparação, o principal rival do iPhone 7, o Galaxy S7, conta com proteção IP68. Essa nota 8 (a máxima possível atualmente) é dada para telefones que aguentem ser submersos em mais de um metro durante um tempo combinando com cada empresa. No caso do aparelho sul-coreano, é possível utilizá-lo também durante 30 minutos, mas em até 1,5 metro de profundidade.

publicidade

Garantia não cobre

Continuando com o exemplo do iPhone 7, é preciso destacar que a Apple afirma em seu site oficial – com letras bem pequenas e lá no final da página – que a a resistência contra a água pode diminuir com o tempo. Ou seja, não é uma condição permanente, mas temporária.

Para piorar, há também a indicação de que “danos decorrentes de contato com líquidos não estão incluídos na garantia”. Ou seja, se um usuário tiver o iPhone danificado pela entrada de água, mesmo após tomar todas as precauções impedindo que o telefone fique muito tempo mergulhado e sempre em uma profundidade de no máximo um metro, ele não será ressarcido pela Apple.

Reprodução

A mesma indicação aparece no manual de garantia exposto no site da Samsung:

Reprodução

E também no site da Sony, em referência ao modelo Xperia XZ:

Reprodução

A conclusão que fica é que, na prática, a resistência dos smartphones contra água é realmente eficiente apenas para acidentes em que o telefone acaba escorregando e caindo em uma poça na rua ou caso alguém derrube um copo com água em cima dele. Se você estava pensando em tirar selfies debaixo d’água, é melhor tirar o seu cavalinho da chuva. Ou melhor, o seu telefone da piscina.