EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A provedora de indiana RailTel revelou recentemente informações sobre o uso de dados nas redes públicas que ela estabeleceu em parceria com o Google em algumas estações de trem no país. De acordo com a provedora, buscas por conteúdo pornográfico são o principal motivo de uso das redes.

“Mais do que qualquer outra estação de trem no país nas quais o WiFi gratuito foi lançado, a estação de Patna está no topo da lista do país no uso da internet para fazer buscas, particularmente em sites pornôs”, disse a RailTel. A estação de Patna, de acordo com o site indiano Economic Times, é uma das mais movimentadas do país, com mais de 200 trens passando por ela diariamente.

publicidade

A RailTel e o Google oferecem uma conexão WiFi gratuita de 1Gbps na estação de Patna, mas estão estudando aumentar para 10 Gbps por conta do uso intenso da rede. Ainda segundo o Economic Times, além dos passageiros, jovens também utilizam a rede pública da estação como passatempo.

Depois de Patna, as outras estações que têm uso mais intenso de WiFi são as de Jaipur, Bengaluru e Nova Delhi. Em todas elas, no entanto, a busca por conteúdo adulto é a principal consumidora de dados.

Outros usos

Felizmente, conteúdo adulto não é o único motivo pelo qual os passageiros dos trens acessam a internet. Outros usos mais frequentes relatados pela RailTel são o download de aplicativos, acesso ao Youtube e pesquisas na Wikipedia. A provedora, no entanto, não ofereceu informações mais detalhadas sobre o consumo de dados em suas estações.

publicidade

Vinte e três estações de trem indianas já têm WiFi gratuito, e o plano do Ministro das Ferrovias Suresh Prabhu é levar as redes públicas a 400 estações em três anos (ou seja, até o fim de 2018, já que as primeiras foram inauguradas em janeiro de 2016).

Não é só na Índia, infelizmente, que as pessoas estão usando redes públicas para entreteinimento privado. Em fevereiro deste ano, a cidade de Nova York passou a oferecer quiosques de Wifi gratuito nas ruas, para moradores e turistas; em setembro, eles foram encerrados porque os usuários estavam monopolizando-os para consumir álcool e drogas e assistir pornografia.