EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, e outros três executivos estão sendo investigados por promotores alemães após denúncias de incitação ao ódio.

Segundo os promotores, a empresa quebrou as leis nacionais contra discurso de ódio ao não remover mensagens ofensivas publicadas na rede social.

publicidade

O advogado alemão da Baviera, região de Munique, Chan-jo Jun, acusa o Facebook de tolerar o discurso do ódio, a negação do Holocausto e mensagens dom ligações para casos de assassinato e violência, que são proibidos na Alemanha. A denúncia enumera 438 mensagens não excluídas pelo Facebook apesar dos repetidos pedidos de usuários.

Vale lembrar que na semana passada, o ministro da Justiça Heiko Maas anunciou que tomaria medidas legais caso o Facebook, Google e Twitter não cumprissem um acordo firmado em março deste ano para controlar mensagens racistas nas redes sociais.

Também estão sendo processados Sheryl Sandberg, a chefe de operações da empresa; Richard Allan, diretor de política europeia do Facebook, e Eva-Maria Kirschsieper, chefe de política pública em Berlim.
A empresa afirma que trabalha para combater o discurso de ódio online e não está “comentando sobre o status de uma possível investigação”.

Via UPI

publicidade