EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Apple decidiu investigar um caso de iPhone 7 Plus que pegou fogo nos Estados Unidos. O vídeo do aparelho chamuscado e soltando fumaça viralizou no Twitter, motivando a Apple a procurar a usuária Brianna Olivas, de 18 anos, para entender o que houve de errado para o aparelho reagir dessa forma.

Pelos relatos da jovem, não há uma causa clara do que pode ter ocorrido. Ela afirmou ao Gizmodo que não usou carregadores falsificados, que costumam ser a causa número 1 de explosões de celulares. Olivas diz que um dia não foi capaz de ligar o celular e levou-o à loja onde o havia adquirido para ver o que havia de errado; após alguns testes, os funcionários afirmaram que não havia problemas, e o iPhone voltou a funcionar.

publicidade

A combustão aconteceu no dia seguinte. Ela diz que o celular estava recarregando próximo à sua cabeça enquanto dormia, quando seu namorado o pegou e colocou-o em cima do criado mudo. Foi quando ele percebeu que o iPhone começou a soltar fumaça e fazer barulho. O rapaz então decidiu levar o iPhone para o banheiro e deixá-lo em cima da pia, que é o momento registrado no vídeo.

publicidade

A garota confirmou que foi contatada pela Apple e afirma ter recebido um outro aparelho no lugar do smartphone queimado. Os representantes dizem estar conduzindo testes para saber o que aconteceu e devem ter uma resposta dentro de uma semana.

Casos de celulares pegando fogo nos remetem imediatamente a todo o imbróglio envolvendo o Galaxy Note 7 e as baterias defeituosas. No entanto, o caso parece ser isolado, e não há indícios de que outras pessoas estejam passando por situações similares.