EnglishPortugueseSpanish

Pelo menos quatro sites que ofereciam download de vídeos do YouTube saíram do ar nesta semana graças a pressão legal de gravadoras nos EUA. O primeiro deles foi o Pickvideo.net, alvo de uma ordem de “cease and desist” (“cessar e desistir”, em tradução livre), de acordo com o site TorrentFreak. Depois, saíram do ar o Video-download.co e o Easyload.co, ambos por conta própria.

O Pickvideo era o maior dos três serviços de download e conversão de vídeos do YouTube para MP3, com alguns milhões de visitantes por mês, segundo a reportagem do TF – tanto que foi o único realmente alvo de um possível processo. Os outros agiram, aparentemente, mais por receio de uma represália da indústria musical como a sofrida pelo agora finado gigante YouTube-MP3, que foi alvo de uma ação judicial movida pela RIAA, pelo IFPI e pelo BPI, associações de gravadoras, no fim de 2017.

publicidade

Esses sites de download e conversão, porém, não são necessariamente ilegais e seu uso já foi defendido pela Electronic Frontier Foundation (EFF). Ao governo norte-americano, a fundação explicou que “existe um volume enorme de vídeos online licenciados para download gratuito e modificação, ou que contém faixas de áudio que não estão sujeitas a copyright”. Ou seja, ainda que algumas pessoas usem os serviços para piratear, as páginas não infringem a lei.

A EFF também alegou que a RIAA, associação de gravadoras norte-americanas, estaria abusando da lei de copyright ao pedir o encerramento das operações de páginas do tipo.

De qualquer forma, a briga da indústria fonográfica internacional contra esses sites ainda deve ir longe, visto que serviços do tipo continuam existindo aos montes.

publicidade