EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Facebook anunciou nesta quarta-feira, 25, os seus resultados trimestrais e os números são preocupantes. A empresa revelou o menor aumento de usuários na comparação com o trimestre anterior de sua história após um período recheado de escândalos.

A base de usuários do Facebook chegou a 2,2 bilhões de usuários ativos mensais e 1,47 bilhão diários; em ambos os casos, o crescimento ficou próximo de 1,5% na comparação com o trimestre anterior. Historicamente, no entanto, a taxa de crescimento costumava ficar em 3%.

publicidade

Quando esses números são analisados mais de perto, também há outras tendências preocupantes. A base de usuários na Europa diminuiu, enquanto nos EUA e no Canadá elas se mantiveram estáveis, o que não são bons sinais nos mercados que mais contribuem para as receitas da companhia. Cada usuário norte-americano vale US$ 25,91 ao Facebook, enquanto o europeu vale US$ 8,76; no resto do mundo, esse valor é de apenas US$ 1,91.

Apesar desses pontos negativos, o Facebook continua crescendo e faturando alto, apresentando lucro líquido de US$ 5,1 bilhões (alta de 31% na comparação com o mesmo período de 2017) com suas receitas alcançando os US$ 13,23 bilhões (alta de 42% quando comparado com o segundo trimestre do ano passado).

No entanto, a desaceleração no crescimento da base de usuários é um fator que preocupa os investidores. Existe um risco de que o público comece a usar menos a rede social, o que significa que eles verão menos anúncios, que por sua vez faz com que a publicidade na plataforma seja menos valiosa e o faturamento do Facebook comece a ser impactado.

Além disso, uma outra tendência negativa é que o Facebook também anunciou que prevê que o crescimento das receitas deve ser consideravelmente desacelerado nos próximos trimestres. Se no último período o crescimento foi de 42%, a expectativa da empresa é reportar percentuais de apenas um dígito como resultado de uma série de fatores negativos, incluindo os novos controles de privacidade e imposições da GDPR, a nova lei de proteção de usuários de internet que entrou em vigor na Europa.

publicidade

Um dos motivos que pode ter causado o resultado abaixo do esperado pode ter sido a imagem manchada da empresa. Este foi o primeiro trimestre completo após o caso Cambridge Analytica, que desencadeou uma série de boicotes contra a rede social, que podem ter surtido algum resultado. A empresa também enfrentou uma série de outros escândalos menores que danificaram a reputação da empresa com o público.

Como resultado disso, as ações da empresa desabaram cerca de 21% após o fechamento do mercado. O valor de capitalização de mercado do Facebook desabou em cerca de US$ 120 bilhões em questão de algumas horas, quando a ação da companhia caiu de US$ 217,50 para US$ 172.