EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Essential Phone é um dos celulares menos populares do mercado, mas um dos mais avançados do momento. Criado pela Essential, uma empresa fundada por Andy Rubin, que é um dos criadores do sistema Android, o smartphone foi um dos primeiros a receber o novo Android Pie.

Mais precisamente, esta é a primeira vez que um smartphone que não é produzido pelo próprio Google recebe uma atualização do Android no mesmo dia em que ela é lançada. Nesta semana, fora ele, apenas os aparelhos da linha Pixel já estão com o update para Android Pie disponível.

publicidade

Para quem não está familiarizado com o ecossistema Android, a notícia não parece tão chocante. Mas o sistema operacional é conhecido entre usuários por ter um processo de atualização extremamente lento se comparado ao principal concorrente, o iOS, dos iPhones e iPads.

O Android Oreo, lançado em agosto do ano passado, ainda está em 12% de todos os dispositivos com o sistema no mundo. A Samsung, marca que mais vende smartphones Android no planeta, só começou a atualizar os seus aparelhos para a geração Oreo neste ano.

publicidade

Ainda assim, a versão Oreo sequer é a mais usada do mundo. Quem fica com este título é o Android Nougat, que tem 30% do total e foi lançado em 2016. Enquanto isso, o iOS 11, lançado em setembro de 2017, levou apenas sete meses para chegar a 81% de todos os dispositivos.

O feito do Essential Phone é ainda mais impressionante se você considerar que o celular não faz parte do programa Android One. Neste projeto, o Google faz parcerias com fabricantes de celular para controlar e atualizar por conta própria o sistema operacional de cada aparelho.

Celulares da Nokia, da Xiaomi e da Motorola que fazem parte do programa Android One ainda não receberam o update para a versão Pie. Mas o Essential Phone, que não faz parte do programa, já está rodando a versão mais recente do sistema operacional.

A Essential usa uma versão quase pura do Android, mas, ainda assim, foi mais rápida que a Motorola, que adota estratégia semelhante. Foi ainda mais rápida que as empresas que participaram do período de testes Beta do Android P, como Sony, Xiaomi, Vivo e Nokia.

Reprodução

Parte do segredo por trás desta atualização rápida é o Project Trebble, um conjunto de ferramentas introduzidas pelo Google no Android Oreo que fazem o trabalho de separar os componentes mais importantes do código do sistema, permitindo uma atualização mais rápida.

Mas a Essential não é a única que faz parte do Project Trebble. A Samsung também faz e os seus smartphones continuam rodando sendo lentamente atualizados – em parte por conta das pesadas modificações que a empresa acrescenta à interface do software.

Vale destacar também o fato de que a Essential não parece estar bem financeiramente. Segundo a consultoria IDC, a fabricante vendeu apenas 88 mil unidades do Essential Phone em seis meses no mercado, no período entre julho e o fim de 2017.

O número é considerado baixíssimo para uma empresa que produz hardware e precisa lidar com altos custos de produção. Para efeito de comparação, a LG conseguiu vender 13,7 milhões de celulares em três meses e fechou o período com prejuízo milionário.

Hoje, circulam rumores de que a empresa de Andy Rubin não deve lançar um Essential Phone 2 em 2018. Em vez disso, a empresa estaria focada em diversificar sua oferta de produtos e pode estar trabalhando numa caixa de som inteligente.

Seja como for, o Essential Phone é uma prova de que atualizações rápidas como as do iOS não são impossíveis para o Android.