A computação quântica é um tema que muita gente já ouviu falar, porém entender esse conceito em sua essência é algo complexo. Na tentativa de simplificar um pouco o tema, trago aqui uma explicação: são computadores que utilizam estados de partículas como os elétrons e fótons aos quais se aplicam conceitos como a sobreposição quântica, permitindo um alto poder de processamento paralelo.

Na prática, enquanto nos computadores atuais os bits mantêm um único valor (zero ou um), os qubits, usados pelos computadores quânticos, apresentam um comportamento variado e seu conteúdo é um valor sobreposto de zero e um. Dois qubits apresentam quatro combinações que podem ocorrer simultaneamente e três qubits já apresentam o dobro de combinações ocorrendo ao mesmo tempo. Dessa forma, a medida que se amplia o número de qubits pode-se fazer um número muito elevado de operações em paralelo. Estima-se que computadores quânticos com mais de 50 qubits irão possuir capacidade de processamento maior que qualquer outro computador já construído.

Como consequência deste poder de processamento paralelo os computadores quânticos são incomparáveis para realizar cálculos de “força bruta”. Desta forma podem trazer solução para problemas hoje considerados impossíveis com as limitações computacionais atuais.

Computadores com esta capacidade de processamento irão tornar possível coisas como o sequenciamento de DNA de células cancerígenas em dias, desenvolvimento de fertilizantes que não poluem e não fazem mal à saúde, criação de novos compostos químicos, previsões super precisas para carteiras de investimento, cálculos ótimos para malhas logísticas e diversas outras aplicações.

publicidade

Essa deve ser uma solução de médio prazo – em torno de dez anos para ter uma popularidade considerável, de acordo com estimativas da Minsait. Há ainda alguns obstáculos a serem superados para essa popularização, como o fato de que, para garantir o funcionamento de um computador quântico, é necessário que as temperaturas sejam inferiores a um grau kelvin (-272,15°C) e sem interferências externas.

Todo este poder de processamento dos computadores quânticos traz grandes benefícios para o mundo, contudo traz também alguns riscos, principalmente na área de segurança. Os algoritmos de criptografia atuais são baseados no fato de que os computadores atuais levariam anos para quebrar as chaves de segurança, mas com computadores quânticos estas poderiam ser quebradas em dias ou mesmo horas.

Isto coloca em risco uma série de processos que hoje são baseados com criptografia como transações financeiras, criptomoedas, meios de comunicação, soluções de IoT e outras.

Em um primeiro momento, uma solução plausível para esse cenário seria aumentar o tamanho das chaves de criptografia, mas rapidamente os computadores quânticos irão evoluir para quebrar chaves cada vez maiores.

Como maneira de contornar essa situação, já existem algumas iniciativas de criar sistemas criptográficos resistentes contra tecnologia de computação quântica. A China já está fazendo seus primeiros testes com a “internet quântica”, tecnologia que permite o uso de partículas subatômicas para transmitir informações entre pontos distantes de maneira imediata e sem necessitar da criptografia tradicional, já que a transmissão de informações seria imediata e totalmente segura.

Sendo assim, a preocupação com cibersegurança nesse cenário tem de ser acelerada. Isso porque a previsão é de que, já nos próximos anos fabricantes disponibilizem ao mercado um computador quântico capaz de ter horas de uso alugadas para empresas– e, com mais acesso, maior o entendimento sobre o assunto e mais chances de desenvolver softwares capazes de quebrar a criptografia como a conhecemos.

Mais do que roubar dados sigilosos, esse novo momento traz a reformulação de soluções lançadas recentemente, como o próprio blockchain. Imagine o impacto financeiro sobre o investimento em bitcoins atualmente e como isso pode afetar dezenas de milhares de pessoas ao redor do mundo. Nesse cenário o bitcoin como o conhecemos estaria em risco, apesar dos poucos anos entre seu surgimento e ascensão.

Dessa forma, a computação quântica representa uma oportunidade inédita e com potencial inegável diante da sociedade. Se quisermos aproveitá-la da melhor maneira possível, é interessante que nossos olhos estejam atentos para captar tendências e elaborar mecanismos de proteção capazes de manter estruturas organizacionais intactas até onde for possível.

Repensar o modelo atual de produção e de cibersegurança é fundamental para companhias de todos os setores. Certamente a área de TI poderá contribuir com maior peso dentro disso, mas é importante que exista uma consciência das lideranças acerca do avanço dessa tecnologia e de todos os riscos e oportunidades que oferece para a sociedade.