EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um dos primeiros smartphones a ser anunciado em 2019, o Redmi Note 7 ainda é uma raridade entre os usuários e a mídia especializada. No primeiro dia de vendas na China, 100 mil unidades do aparelho foram vendidas em apenas 8 minutos e 36 segundos e, aos poucos, as informações sobre o desempenho real do dispositivo vão aparecendo. Confira aqui o que os usuários do Redmi Note 7 estão falando sobre o smartphone.

A Redmi agora é uma submarca da Xiaomi, com foco no mercado de dispositivos intermediários, mas com um recurso único: uma câmera com uma super resolução. O aparelho foi anunciado há pouco mais de 10 dias, com uma lente principal de 48MP a um preço super honesto.

publicidade

Na China, o Redmi Note 7 pode ser comprado por um valor equivalente a R$550,00. Contudo, apesar do preço baixo, a qualidade de construção do novo smartphone está sendo considerada “o que de melhor você poderia pedir em um celular”.

#1. O design mais bonito da categoria

Conforme os usuários têm acesso ao novo Redmi, mais sabemos sobre o aparelho. O número de reviews ainda é bastante limitado, mas o que dá para perceber é que em relação ao design e à construção, tudo aqui é nota 10. O dispositivo foi construído com vidro Gorilla Glass, na parte da frente e na parte de trás e, como alguns vídeos já mostraram, o aparelho pode ser bem resistente a choques e batidas.

De acordo com o review do Redmi Note 7 feito pelo canal indiano Beebom, que já conta com mais de um milhão de visualizações no YouTube, o celular é “deslumbrante” e “sem dúvidas, o melhor design de toda a série Redmi”. Além disso, quando comparado ao antecessor, o novo Note 7 possui um “visual premium”.

Outro destaque feito pelo canal é que o entalhe em forma de gota é, definitivamente, menos invasivo do que o entalhe que temos, por exemplo, no iPhone X, no Zenfone 5 ou no Motorola One.

publicidade

A experiência com a tela de 6,3 polegadas LCD do aparelho é “ótima”, pois “é nítida, brilhante e as cores são boas”. E, de acordo com Rupesh Sinha, nada no aparelho foi sacrificado em prol do design, o sensor de impressão digital está no lugar certo, a fabricante manteve a entrada P2 para os fones de ouvido, mesmo tendo um entrada USB Tipo-C, adicionou um sensor de infravermelho, e colocou um LED de notificações na parte inferior do dispositivo. Ou seja, tudo está lá!

O aparelho não possui certificação de resistência à água, mas foi construído com proteções nas aberturas contra respingos.

O canal Frankie Tech também foi só elogios ao aparelho, falou um pouco mais sobre a moldura do dispositivo que, apesar de parecer metálica, é de plástico, mas que “a Xiaomi fez um excelente trabalho de qualquer forma, pois o aparelho possui uma excelente pegada”. Em relação ao visual, Frankie afirmou que “o Redmi Note 7 é o smartphone mais bonito que já teve em mãos”.

Exagero ou não, essa parece uma máxima entre os usuários que tiveram a chance de ter o dispositivo em mãos até o momento.

Contudo, preciso mencionar que existe uma pequena falha de fabricação em alguns modelos. Na parte superior traseira de alguns dispositivo, temos uma pequena cavidade, quase imperceptível que, ao que tudo indica, acontece por causa da construção interna do Redmi Note 7. Logo, se este tipo de coisa incomoda você, antes de pensar em comprar este aparelho, lembre que talvez a sua variante possa ser enviada com esta falha na construção.

#2. As câmeras são “super impressionantes”, mas sem suporte para vídeos em 4k

O sensor de 48MP da Samsung faz “fotos realmente impressionantes, tanto no modo comum quanto no modo retrato”. O que chama a atenção do youtuber em relação às fotos é a riqueza de detalhes.

Mas como o Redmi Note 7 possui uma câmera de 48MP se o processador Snapdragon 660 não oferece suporte para tanto? No papel, este chip da Qualcomm suporta lentes de até 25MP, mas a Xiaomi parece ter encontrado uma solução para este inconveniente.

De acordo com Sinha, “no modo automático, a câmera usa apenas 12MP, mas no modo avançado é possível fazer fotos com 48MP. Isso acontece porque a câmera principal usa o recurso conhecido como “pixel binning” para otimizar as imagens, que aumenta efetivamente o tamanho do pixel combinando os dados brutos de quatro pixels em um. Desta forma, a imagem final é de uma resolução mais alta, pois capturou uma quantidade maior de luz e também reduziu mais ruído.

Logo, a Xiaomi oferece imagens de 48MP capturadas a partir de um sensor de 12MP. No entanto, o resultante é uma imagem mais clara e com menos ruído, devido à combinação dos dados de quatro pixels em um.

A câmera traseira possui Estabilizador de Imagem Eletrônico (EIS) e “faz um bom trabalho”. Porém, a câmera nativa não oferece suporte para vídeos em 4k, apenas 1080p a 30fps e 1080p a 60fps.

Em comparação ao modelo anterior, a câmera frontal teve uma diminuição na resolução do sensor, que passou de 20MP para 13MP no Redmi Note 7. Porém, nos testes, a nova câmera para selfies se saiu um pouco melhor do que aquela do Redmi Note 6 Pro, logo, foi uma melhoria.

#3. Sobre os componentes internos

O processador Snapdragon 660 é o melhor da categoria e, deixando de lado os benchmarks, no uso diário do aparelho “a performance tem sido realmente boa”. É claro que estamos falando de um aparelho que recém saiu da caixa, mas como tal, possui um ótimo desempenho.

Já o canal Frankie Tech vivenciou alguns engasgos durante os testes com o Redmi Note 7, mas considerou os problemas de performance “normais”. Houve uma tentativa de teste de áudio, usando como comparação o Xiaomi Mi A2 e, para o youtuber, o Redmi ofereceu uma experiência de som melhor. Sinceramente, assistindo ao vídeo eu não consigo chegar a uma conclusão.

A bateria possui a mesma capacidade de 4000mAh de outros modelos da série, mas agora oferece suporte carregamento rápido a 18 Watt. Contudo, na caixa, temos um carregador normal de 10 Watt; em outras palavras, para contar com este recurso, será preciso comprar um adaptador extra compatível com a tecnologia de carregamento rápido. A boa notícia, no entanto, é que a Xiaomi oferece o adaptador de 18 Watt pelo equivalente a R$ 5,50 (10 yuan).

Em relação à performance em jogos, à primeira vista, o aparelho se saiu muito bem, sem engasgos ou perda de frames. Porém, é preciso dizer que, no modo de jogo, a tela não foi usada de borda à borda, pois uma tarja preta foi acionada para esconder o entalhe em gota. Até o momento não ficou bem claro se isso é uma questão de adaptação do próprio jogo ou do sistema operacional do aparelho.

Xiaomi Redmi Note 7: especificações técnicas

  • Tela de 6,3 polegadas IPS LCD, com resolução FHD+ (2340 x 1080 pixels) e 409ppi;

  • Processador Snapdragon 660;

  • 3, 4 e 6GB de memória RAM;

  • 32 e 64 GB de armazenamento interno;

  • Câmera traseira de 48MP + 5MP;

  • Câmera frontal de 13MP;

  • Conectividade USB Type-C;

  • Sensor IR;

  • Entrada para os fones de ouvido;

  • Bateria de 4000mAh.

#4. O Redmi Note 7 é a reinvenção da série

Para Sinha, do canal Beebom, o novo Redmi é a resposta da Xiaomi ao fracasso das duas últimas variantes, leia-se Redmi Note 6 e Redmi Note 6 Pro. Apesar do primeiro teste ter sido superficial, Sinha afirma que o Remi Note 7 “se tornará, com certeza, o melhor smartphone intermediário do mercado”. O motivo disso: design premium, tela com entalhe em gota, uma câmera de 48MP, processador Snapdragon 660. “O que mais você precisa pelo equivalente a R$ 550,00?”

Já o canal Frankie Tech provoca os críticos do Redmi Note 7: “quero ver construir um aparelho tão bom quanto este, pelo mesmo valor!” De acordo com ele, “o Redmi Note 7 eleva o padrão de qualidade e design da categoria de aparelhos intermediários”.

De todos as análises sobre o Redmi Note 7, em especial essas dos canais Beedom e Frankie Tech, é possível perceber pelo menos um ponto comum: o custo benefício do aparelho é inegável. Dadas as devidas proporções, o anúncio do novo Redmi me lembrou muito da chegada da Xiaomi ao Brasil, quando Hugo Barra fez o lançamento do Redmi 2, em São Paulo, em junho de 2015. O dispositivo custava apenas R$499,00, mas oferecia uma experiência muito consistente aos usuários.

É claro que, como a Xiaomi não comercializa seus aparelhos diretamente no Brasil, este custo benefício não será transferido para os brasileiros que importarem o aparelho da China ou da Índia, por exemplo. Aliás, nem o preço do aparelho convertido para o dólar conseguirá oferecer as mesmas vantagens aqui no país. Contudo, o cenário internacional poderá forçar o mercado interno a baixar os preços ou mesmo a aumentar a barra de qualidade dos produtos vendidos no varejo nacional. Caso contrário, nem as imposições da Anatel em relação à certificação dos smartphones chineses irá conter a onda de importação deste tipo de produto.

Por fim, se você está pensando em comprar o Redmi Note 7 em lojas como a Gearbest, meu conselho é aguardar, pois devido a ausência de estoque, a compra online do aparelho está supervalorizada.

Assim que recebermos o aparelho na redação, nossa equipe vai preparar um super review deste intermediário da Xiaomi. O que você quer saber sobre o Redmi Note 7? Deixe suas sugestões nos comentários deste artigo.