EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Huawei entrou com um processo contra a medida de proibição imposta pelo governo dos EUA ao uso de seus equipamentos de telecomunicações. A ação foi anunciada pelo atual presidente da empresa, Guo Ping, em uma coletiva de imprensa em Shenzen.

As autoridades americanas rotulam a Huawei como potencial ameaça à segurança do país e argumentam que ela poderia ser uma ferramenta usada pelo governo chinês para espionagem. A empresa diz que a medida viola um padrão legal contra a criação de uma “declaração de posse”, na qual o governo faz política punitiva direcionada a um pequeno grupo. Segundo Ping, “a proibição da Huawei não é apenas desnecessária, mas fará que a América seja deixada para trás na construção de redes 5G”.

publicidade

A companhia nega as acusações e afirma que os EUA não têm evidências claras de suas preocupações. Outra empresa que não gostou das alegações de potencial espionagem foi a Kaspersky Lab, que atua no segmento de segurança cibernética e tem sede na Rússia. Ela acionou o governo norte-americano na Justiça, assim como a Huawei, mas não teve sucesso.

Como a empresa chinesa é a maior fornecedora de equipamentos de telecomunicações do mundo, o resultado pode ser diferente. Entretanto, ela enfrenta vários legisladores e autoridades de inteligência que questionam suas operações. Enquanto isso, a administração Trump considera outra ordem para restringir a venda de produtos da marca e pressiona países aliados a abandonar seus equipamentos.

publicidade

Fonte: The Verge