EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Problemas de segurança em sistemas operacionais são bastante recorrentes. Assim que as empresas tomam conhecimento de tais falhas, eles começam a trabalhar em uma solução que chega por meio de uma atualização. Não foi diferente com o Google Chrome.

O Google revelou que a última atualização do navegador Chrome, lançada em 1 de março, foi feita para corrigir uma falha de memória no aplicativo FileReader que permitia a execução remota de códigos por terceiros. A vulnerabilidade afeta todos os principais sistemas operacionais, como o Microsoft Windows, macOS e o Linux.

publicidade

Mais especificamente, o erro é causado após o Chrome tentar acessar uma informação depois desta ter sido deletada da alocação de memória do navegador. Esse tipo de operação de acesso à memória pode levar à execução de códigos maliciosos.

O Google está orientando os usuários a atualizar o navegador para a versão 72.0.3626.121 o quanto antes, já que há muitos relatos de que a falha está sendo massivamente utilizada para roubo de informações.

Via: Zdnet

publicidade