A Warner Music Group surpreendeu ao anunciar seu mais novo contratado: um algoritmo que cria músicas automaticamente. A decisão causou controvérsia, pois muitos acreditam que um programa não pode ser considerado artista nem produtor de conteúdo.

O algoritmo, cujo nome é Endel, é famoso por criar músicas a partir da análise de fatores como localização, temperatura e horário. Após a coleta dessas informações, ele produz uma “paisagem sonora”, também conhecida como música ambiente, com foco no relaxamento.

publicidade

Embora haja um contrato assinado, a Warner não tem controle total sobre o Endel: trata-se apenas de um acordo de distribuição. Após formarem a parceria, já foram produzidas 600 faixas — que serão organizadas em 20 álbuns e incluídas em serviços de streaming. Cinco deles já foram lançados e os outros virão ao longo do ano.

As obras produzidas pelo Endel fazem parte de um conceito bastante popular atualmente: músicas para ambiente ou para relaxar. As playlists que contêm essas peças têm milhões de seguidores em todas as plataformas em que estão disponíveis. O aplicativo funciona como os vídeos de resposta sensorial autônoma do meridiano (ASMR), que utilizam estímulos visuais, sensoriais e cognitivos para ajudar as pessoas a relaxarem ou, até mesmo, dormirem. 

Essa parece ser uma nova tendência no modo como se ouve música. O avanço da inteligência artificial proporciona diversas melhorias ao dia a dia, por que não, então, utilizá-la também na produção de música? Para quem ficou curioso, o Endel pode ser baixado para os sistemas operacionais iOS e Android, e para a assistente Alexa, da Amazon.

Via: The Verge