EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um formulário online publicado no canal Mashable, na quarta-feira (22), permite que os participantes se inscrevam em um estudo de mapeamento corporal realizado pela Amazon Body Labs. O diferente e peculiar sobre isso é o fato das pessoas permitirem que a empresa faça um escaneamento 3D do seu corpo em troca de um cartão-presente no valor de 25 dólares para gastar no Amazon.com.

O estudo da imagem tem como objetivo aprender sobre a “diversidade entre formas do corpo”, de acordo com a portal, e está operando em dois locais diferentes em Nova York. Ele usa Inteligência Artificial (IA) para criar representações 3D realistas de pessoas com base em uma imagem 2D.

publicidade

Os participantes têm que marcar uma consulta antes de 30 de junho e, aparentemente, só podem fazê-lo uma vez. Os dados coletados durante a sessão de 30 minutos destinam-se à pesquisa interna de produtos e não à comercialização, de acordo com o formulário de inscrição.

Aos participantes é solicitado o uso de “roupas de ajuste mínimo”, como biquinis e sungas, shorts e sutiãs esportivos. Um repórter do Mashable se inscreveu para uma sessão de escaneamento corporal e foi solicitado a assinar um acordo de confidencialidade para manter em sigilo tudo o que vivenciaram ou aprenderam durante o estudo.

Esta não é a primeira vez que a Amazon demonstra curiosidade sobre a forma humana. No ano passado, a empresa convidou pessoas a participarem de um estudo de análise corporal que buscava rastrear pequenas mudanças de forma e tamanho no corpo durante um período de 20 semanas. Nesse caso, os participantes receberam ofertas de cartões de presente no valor de até 250 dólares como recompensa.

A verificação, de acordo com o formulário, leva cerca de 30 minutos para ser concluída e a empresa ainda afirma que qualquer dado adquirido durante o curso deste estudo será usado apenas para “pesquisa interna de produtos”, e não para marketing.

publicidade

Você participaria deste estudo por vale-presente no valor de 25 dólares?

 

Via: CNet