Nem só de empresários do Vale do Silício vive a nova fase da exploração espacial. Nos últimos tempos, nomes como SpaceX, de Elon Musk, Blue Origin, de Jeff Bezos, e Virgin Orbit, de Richard Branson, dominaram o noticiário do tema espacial, junto com a Nasa. Mas há inúmeras outras iniciativas mundo afora apontando para uma nova corrida espacial com competidores de diferentes partes do globo. O mais recente e, talvez, inesperado deles é a Índia. O país anunciou que se prepara para sua segunda missão não tripulada à Lua. A operação foi batizada de Chandrayaan 2. O detalhe é que o lançamento está programado já para esta segunda-feira, dia 15 de julho. Se tudo der certo, a sonda deve pousar na Lua no dia 6 ou 7 de setembro. A Índia vive um momento positivo, com a economia em crescimento – o país deve se tornar o quinto maior mercado do planeta em breve -, e a exploração espacial, feita com tecnologia 100% indiana, é encarada como uma reafirmação do momento. A sonda indiana deve pousar no polo sul lunar – uma região ainda não visitada. Nas palavras da Organização de Pesquisa Espacial Indiana, a sonda “irá com ousadia para onde nenhum país jamais foi”. Só falta, agora, aparecer um capitão Kirk indiano…

publicidade