A Huawei está prestes a cortar centenas de empregos em seus centros de pesquisa e desenvolvimento nos EUA. A informação é do Wall Street Journal, que alega ter fontes próximas ao arquivo e garante que a companhia já propôs o retorno de alguns funcionários chineses dos Estados Unidos para a China. Por enquanto, a fabricante de smartphones não confirmou oficialmente os cortes.

De acordo com o WSJ, a Huawei desligaria uma parcela significativa dos 850 funcionários da Futurewei Technologies, uma subsidiária dedicada a pesquisa e desenvolvimento. A empresa emprega trabalhadores americanos e chineses em escritórios no Vale do Silício, em Dallas e Seattle.

publicidade

No final de junho, a Futurewei Technologies havia sido forçada a afastar suas operações da sua empresa-mãe, a Huawei. Na ocasião, executivos da Huawei até foram forçados a deixar a sede nos EUA. Desde então, o logotipo da gigante chinesa não é mais usado nas comunicações oficiais da Futurewei.

Apesar de ser alvo constante de medidas do governo Trump, a Huawei começa a ver dias melhores pela frente. Durante o G20, o presidente norte-americano anunciou um relaxamento das sanções, o que significa que o Departamento de Comércio deve começar a conceder licenças de vendas para empresas que desejam negociar com a gigante chinesa. No momento, porém, a companhia permanece na lista negra de entidades que representam risco para a segurança nacional.

Fonte: Wall Street Journal