Para usar um aplicativo, serviço ou site hoje em dia, na grande maioria das vezes é preciso fazer um cadastro, no qual, é claro, você precisa informar seus dados pessoais.

Apesar de parecer uma tarefa inofensiva, na verdade, é preciso ter muito cuidado onde essas informações estão sendo armazenadas, já que não é raro ver casos de vazamento de dados por parte de grandes empresas acontecerem com frequência.

publicidade

Mas para quem se preocupa com privacidade, a boa notícia é que existem alguns cuidados que podem ser tomados na hora de utilizar o seu smartphone ou no computador.

O Olhar Digital entrou em contato com o advogado Leandro Alvarenga Miranda e fez uma lista com 13 dicas valiosas para dificultar a coleta de dados ao usar um celular ou computador. Confira!

Importante

Antes de qualquer coisa, é importante entender que é praticamente impossível fazer com que os sites e serviços não façam a coleta de nenhum de seus dados. As dicas listadas abaixo são apenas alguns cuidados que podem ser tomados para dificultar que seus dados sejam espalhados na internet de forma insegura.

1) Evitar Wi-Fi público

Grande parte dos shoppings, aeroportos ou outros locais públicos atualmente disponibilizam aos clientes o uso de um Wi-Fi público e gratuito para acesso à internet. O problema destes Wi-Fi já começa, na verdade, pela forma de login, uma vez que você precisa informar alguns dados para usá-los. Mas não para por aí!

O fato de você estar em uma rede pública também acaba deixando seu dispostivivo desprotegido para muitas tarefas. Por exemplo: ao estar conectado em um Wi-Fi aberto, caso alguma outra pessoa mal-intencionada também esteja na rede, ela pode interceptar os seus dados para obter informações do que você acessou.

Desta forma, caso você realmente precise utilizar um Wi-Fi público, lembre-se de evitar acessar sites importantes como bancos, ou realizar pagamentos.

2) Atenção às permissões solicitadas

Ao instalar um aplicativo no celular, é cada vez mais comum que o app solicite uma série de permissões ao ser executado pela primeira vez.

Algumas destas permissões, é claro, podem realmente ser necessárias, mas isso não quer dizer que elas deixem de representar um perigo.

Reprodução

Sempre que um app pedir uma permissão, reflita se ela é realmente necessária para o funcionamento do aplicativo e se você está disposto a concedê-la, principalmente quando se trata de itens importantes como um acesso ao microfone ou à sua localização.

Se possível também, conceda a permissão apenas para quando o aplicativo estiver aberto ou em uso, como o sistema iOS permite em alguns casos.

3) Leia os termos de uso dos aplicativos e serviços

Na hora de fazer um cadastro em alguns apps e serviços, você já deve ter se deparado com termos de uso que precisam ser aceitos para utilizá-los.

Apesar de muita gente não fazer a leitura, é extremamente importante saber o que está escrito neles, uma vez que podem dizer o que a empresa fará com os seus dados.

Reprodução

Um caso recente, que pode servir de exemplo, como está exposto na imagem acima, é justamente o do aplicativo FaceApp, que recentemente fez bastante sucesso com um filtro para envelhecer o rosto de pessoas.

Em seus termos de uso, no terceiro item, por exemplo, está explícito que você garante ao FaceApp uma permissão para que seus dados sejam utilizados para fins e interesses comerciais.

4) Utilize serviços que coletam menos dados

Apesar de ser cômodo usar os serviços mais famosos na internet como o Google, Outlook e outros, existem alternativas bem eficientes e com foco maior em privacidade. Abaixo, veja uma pequena lista de sites e apps para os serviços mais utilizados no dia a dia:

  • Protonmail – Serviço de e-mail com criptografia de ponta a ponta;
  • Duck Duck Go – Serviço de buscas;
  • Startpage – Serviço de buscas;
  • Signal – Programa para troca de mensagens com foco em privacidade.

5) Evitar login com contas de e-mail e de redes sociais

Para facilitar a vida de muita gente, alguns sites acabam oferecendo opções de login por meio de uma conta de e-mail ou via rede social ao invés de pedir um cadastro manual.

Esse recurso é chamado de “login social” e, apesar da facilidade, ao fazer isso, na verdade, você está concedendo uma permissão para que o serviço em questão possa ter acesso a uma série de dados como a sua lista de contatos, por exemplo.

Reprodução

Assim, sempre que for fazer o cadastro em algum serviço novo, apesar de levar mais tempo, opte sempre por fazê-lo da forma convencional, preenchendo dados manualmente.

Caso você já tenha realizado algum cadastro usando a sua conta de e-mail, ainda assim é possível remover o acesso como mostra esse guia do Olhar Digital para bloquear o acesso de aplicativos do Gmail.

6) Não use a mesma senha para diferentes serviços

Ao fazer cadastros na internet, é claro que nem sempre é fácil lembrar qual a senha utilizada para um determinado serviço. Entretanto, fazer o uso da mesma senha para serviços diferentes não é uma prática recomendada, sendo até mesmo perigosa.

Por exemplo: um site pode lhe solicitar que você cadastre um e-mail e uma senha para utilizá-lo e, por conveniência, você utiliza a mesma combinação que você costuma usar para se logar no seu e-mail.

Caso o site do serviço em que você tenha cadastro sofrer com um vazamento de informações, por exemplo, a sua senha do e-mail também estará exposta.

Leia também!

7) Utilize senhas fortes

É verdade que criar uma senha complexa não é fácil, uma vez que o ideal é combinar caracteres especiais com letras maiúsculas, minúsculas e números.

Se a sua criatividade nem sempre está em alta para esses momentos, uma boa solução acaba sendo utilizar um gerador de senhas, como este criado pelo Olhar Digital, que roda a partir de seu navegador.

Reprodução

E para garantir que você não vai esquecer e perder essas senhas, outra dica é recorrer a aplicativos de gerenciamento de senhas. Veja a seleção do Olhar Digital com os 5 melhores aplicativos para gerenciar senhas.

8) Faça sempre logout

Quando você utiliza um site que necessita de um cadastro para ser utilizado, é necessário que você faça um login, sendo que isto cria uma sessão nele.

Caso você apenas feche a aba e volte a navegar, é possível até notar que, ao abrir o site novamente, a sua conta ainda estará logada.

O grande problema visto neste cenário acaba se dando por conta dos cookies, que são arquivos armazenados em sua máquina e que podem causar um problema.

Por exemplo: ao acessar outro site que esteja analisando estes arquivos, caso você não tenha feito o logout no outro site, algumas informações suas podem acabar ficando expostas.

Então, antes de utilizar mais de um site, lembre-se sempre de encerrar a sua sessão atual, para que seus dados não acabem trafegando de um local para outro.

9) Fazer a limpeza de dados de navegação

Outro processo importante a ser realizado com frequência é a limpeza de dados de navegação, que são arquivos armazenados em sua máquina gerados automaticamente ao navegar pela internet.

Geralmente, na maioria dos navegadores, a limpeza desses dados pode ser efetuada simplesmente ao pressionar junto as teclas “Ctrl + Shift + Delete”.

Caso o comando acima não funcione em seu navegador, basta acessar o seu menu de configurações para localizar este recurso. Se você utiliza o Chrome, existe até mesmo uma maneira de automatizar este processo.

10) Mantenha o navegador atualizado

Independentemente de você estar utilizando um navegador no PC ou no celular, é extremamente importante que eles sempre estejam atualizados.

Eles podem até estar funcionando bem para você sem atualizar, mas além de trazer novos recursos, todas as atualizações de navegadores acabam corrigindo possíveis brechas de segurança.

Reprodução

11) Verificar configurações e extensões no navegador

Caso você utilize um computador, outro item ao qual você deve ficar atento é as configurações do navegador ao finalizar a instalação de um programa.

Atualmente, muitos sites acabam deixando nos instaladores de aplicativos opções que alteram a página inicial do navegador e outros parâmetros, que podem levar a site nocivos.

Outro problema ainda proveniente destes instaladores fica por conta de extensões, que podem ser adicionadas aos browsers sem que você perceba.

Não apenas em instaladores, também não é recomendável que você instale extensões desconhecidas em seu navegador, já que elas podem requisitar permissões para acessar alguns dados sensíveis de navegação.

Se você acabou afetado com um destes problemas mencionados acima, uma boa solução para eliminar extensões maliciosas do navegador é utilizar o programa AdwCleaner ou tentar uma destas soluções abordadas pelo Olhar Digital.

12) Extensões para evitar rastreio de dados

Além dos cuidados mencionados acima, outra opção para dificultar a coleta de dados fica por conta do uso de extensões que bloqueiam anúncios e os impede de rastrear suas informações. Uma das mais famosas, por exemplo, é a Privacy Badger, que tem versões para Chrome e Firefox.

Se você utiliza um celular, neste caso, a solução é recorrer a outros navegadores, como o Brave Browser, que tem versões para Android, iOS (sistema do iPhone) e PC.

13) Onde verificar se seus dados já foram vazados

Se você está preocupado com o fato de seus dados já terem sido vazados, existem algumas ferramentas que realizam essa consulta para você. A mais popular delas é o site Have i been pwned.

Reprodução

Como você pode notar pela imagem acima, para saber se seus dados já foram vazados, basta entrar com o seu endereço de e-mail.

Crédito para a imagem principal: Illus_man/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!