EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Billy Mitchell, ex-campeão do jogo Donkey Kong, está ameaçando apresentar um “recurso legal” na Justiça contra o livro dos recordes, Guinness World Records, e o placar da Twin Galaxies, caso ambos não retirem as “declarações difamatórias” contra ele e reestabeleçam o seu recorde mundial. O pacote de evidências que Mitchell vai apresentar contém 156 páginas para provar sua inocência. 

O caso ocorreu em abril do ano passado, após uma declaração de Jeremy Young, membro do Donkey Kong Fórum, afirmando que os recordes obtidos por Mitchell não foram feitos por meio de um arcade oficial, e sim por um emulador MAME do jogo. Por conta disso, a administração do placar decidiu remover todas as pontuações de Mitchell de seus registros, incluindo uma pontuação considerada “perfeita” no jogo Pac-Man. Na época, o recordista afirmou que “tudo foi feito profissionalmente” e “tudo será transparente”. 

publicidade

Mitchell classificou o envolvimento de Jeremy Young no caso como oportuno, o que chamou de “uma terceira parte abertamente inflamatória” e “tendenciosa” que “expressou seu apoio à remoção de pontuação no primeiro dia da disputa”. De acordo com o ex-recordista, nunca houve imparcialidade em Young durante todo o caso. 

O fundador da Twin Galaxies, Walter Day, que liderou o placar até 2014, saiu em defesa de Mitchell. “Gostaria de lembrar ao Guinness World Records que eu, não a atual administração da Twin Galaxies, sou a fonte original de verificação de todos os registros mundiais de Billy Mitchell, incluindo Donkey Kong e Pac-Man”, afirmou. Ele ainda disse que o formato do tópico da época tornava difícil testemunhar, pois todos iriam atacar Mitchell. 

“Como [a decisão da Twin Galaxies] é a base do Guinness World Records para remover essas pontuações, eu, como verdadeira fonte original de adjudicação e parceiro de 36 anos, espero que as realizações e o bom nome de Billy Mitchell sejam restaurados com base nisso”, declarou Day. 

O atual comandante da Twin Galaxies, Joyce Hall, disse que a organização não teve tempo de examinar completamente todo o material que foi enviado e precisavam de mais tempo para analisar o conteúdo. No entanto, ao contrário de Day, Hall não está convicto na inocência de Mitchell, e está aceitando tanto evidências contra o jogador quanto a favor. 

publicidade

 

Via: Ars Technica