O Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, vai permitir que eleitores coletem e validem suas digitais por conta própria através do smartphone. Os dados vão ser registrados pelo aplicativo e-Título, em um recurso que vai estar disponível a partir de 2020.

A ideia faz parte do Programa de Identificação Biométrica da Justiça Eleitoral, que busca coletar dados biométricos para evitar fraude eleitoral e falsidade ideológica no voto. Por isso, a coleta das digitais via smartphone ajudará o TSE a cumprir a meta de ter todos os 148 milhões de eleitores cadastros antes das eleições de 2022.

publicidade