EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em 2017, uma equipe de astrônomos encontrou sinais de dois buracos negros se fundindo, fenômeno registrado apenas 10 vezes na história. Um dos envolvidos na fusão tinha mais de 50 vezes a massa do Sol, levando os cientistas a se perguntarem como tal buraco negro teria ficado tão grande.

Agora, um grupo de pesquisadores sugere que buracos negros supermassivos no centro de galáxias estão cercado por outros “buracos negros bebê”, muito menores, e que consomem uns aos outros, crescendo cada vez mais.

publicidade

Por meio de simulações em computador, a equipe do Instituto de Tecnologia de Rochester descobriu que a fusão de uma série de pequenos buracos negros poderia resultar em um buraco negro supermassivo 50 vezes mais pesado que o Sol.

“A pesquisa oferece uma visão única de como as galáxias crescem, o que explica a maior parte da estrutura do Universo”, disse o professor Richard O’Shaughnessy, assistente do instituto.

Via: Futurism

publicidade